Animais

Lojas apostam em roupas, acessórios e brinquedos moderninhos para pets

Novas marcas especializadas no mercado apostam em produtos mais descolados, que vão de bandana colorida a colete jeans

Por: Carolina Giovanelli

  • Voltar ao início

    Compartilhe essa matéria:

  • Todas as imagens da galeria:

Chega de roupinhas de babados, coleiras com strass e outros exageros. Os pets também andam aderindo (mesmo que involuntariamente) a roupas e acessórios descolados. Novas marcas e lojas procuram seguir as tendências da vez e agradar aos donos que se cansaram da mesmice das pet shops.

A maioria dessas empresas começou com a divulgação pela internet, atingindo um público mais jovem e antenado. Até blogueira de moda tem entrado na onda. A empresária Lu Tranchesi lançou há um mês, junto de dois sócios, o e-commerce TopDog, em que vende desde brinquedos até roupinhas diferentonas, como tricôs, coletes salva-vidas e camisetas temáticas da Copa.

Ela escolhe as mercadorias exclusivas, que são importadas ou feitas com base em suas ideias por empresas terceirizadas. “Tudo é testado pela minha cadela Carlota, uma buldogue-francesa”, conta Lu, que aproveita o sucesso do blog pessoal para divulgar os itens, e tem planos de abrir em breve um quiosque em um shopping. “Minhas leitoras sabem quanto amo a Carlota e entendem que eu só daria o melhor a ela.”

Poodles estilosos em paisagens incríveis são hit no Instagram

Roupa para cachorro TopDog
Colete de poliéster resistente à água do e-commerce www.topdog.com.br: 138 reais (Foto: Lucas Lima)

No estilo moderno, foi lançada recentemente a Pet Rocks, cujos produtos aparecem em lojas transadas, como a pet shop MOM, na Vila Nova Conceição, e no próprio site, www.petrocks.com.br. Estão por trás do negócio três amigas ligadas à moda, entra elas Fernanda Youssef, coordenadora de estilo da grife feminina Lita Mortari. Sua especialidade são coletes, caminhas e outros acessórios fabricados com jeans de diversas lavagens. Estampas inspiradas em David Bowie e nos Beatles estão no portfólio. Também tem pegada musical a DogRoll, criada em outubro pela artista plástica Tatiana Aranha e pelo publicitário Fábio Cerdeira. Seu lema é: “Está decretado o fim da cafonice canina”. Além de bandanas com desenhos roqueiros, a loja oferece peitorais de bolinha e coleiras coloridas. “Percebemos que o dono quer ter seu estilo refletido no cão”, diz Tatiana. “Criamos tigelas e caminhas que possam fazer parte da decoração da casa.”

Para evitar que o tutor precise tirar da sala aquela caminha rosa fluorescente quando chega uma visita, a Slim produz objetos de decoração refinados de temática animal, além de itens como bolsas e almofadas que podem ser usados pelos donos e pelos bichos. O comércio, de preços mais salgados, começou no fim de 2012 dentro do showroom da marca-mãe Entreposto, no Jardim Europa. Acabou engrenando e inaugurou em outubro uma loja própria no MorumbiShopping. 

Bandana DogRoll
Bandana da DogRoll: 29,90 reais, à venda no site www.ibacana.com.br (Foto: Divulgação)

No caso da Dog in Pants, o empreendimento se deu quase que por acaso. Após adotar um cão whippet, a raça da moda, de figura longilínea e elegante, a corretora de imóveis Edna Saiki não encontrou roupas de qualidade que se ajustassem ao corpo do animal. No ano passado, ela e seu marido, o autônomo Alexandre Saiki, investiram 10 000 reais na compra de tecidos e máquinas de costura para que eles mesmos botassem a mão na massa (hoje, trabalham com duas costureiras). O casal cria os croquis de roupas fofas, que vão de moletom com capuz a camisa polo. Por serem apaixonados por animais, eles formaram uma clientela farta nos encontros de whippets que promovem. Largaram os empregos antigos e agora embolsam 10 000 reais por mês, em um faturamento crescente. Vendem diretamente ao consumidor por meio do site www.doginpants.tumblr.com. É tudo feito sob medida, ao custo médio de 80 reais por peça. Por causa da demanda, passaram a produzir modelos para cães de outras raças e gatos. “Exportamos para Portugal, Alemanha, Estados Unidos e México”, afirma Edna.

A westie Fig tem perfil no Instagram recheado de fotos charmosas

Bolsa Dog Slim
Bolsa para carregar cachorro da Slim: 398 reais, à venda no MorumbiShopping (Foto: Divulgação)

Também mudou de vida a administradora que trabalhava em banco Fernanda Murer. Em agosto, ela investiu 50 000 reais em seu próprio negócio, o site Juro que Não Morde. Começou anunciando pelo Instagram e Facebook até lançar o portal oficialmente. “Temos novidades como guarda-chuva para cachorro, coleira de LED para passeios noturnos e bebedouro com pedal”, enumera. Estão disponíveis ainda coleiras da marca carioca Zee.Dog, a queridinha de skatistas.

Colete jeans da Pet Rocks
Colete jeans da Pet Rocks: 78 a 96 reais, à venda no site www.petrocks.com.br (Foto: Lucas Lima)

Luan Santana lança clipe da música Cê Topa, que chama a atenção para a causa animal

Fonte: VEJA SÃO PAULO