SAÚDE

Jovem morre após contrair infecção causada por uso de absorvente interno

Jemma-Louise Roberts, de 13 anos, foi diagnosticada com Síndrom do Choque Tóxico, provocada por bactéria altamente letal 

Por: Veja São Paulo - Atualizado em

Jemma Louise Roberts
Jemma-Louise Roberts: infeccção por uso de absorvente interno causou morte da garota (Foto: Reprodução)

Uma adolescente de 13 anos morreu devido a uma infecção causada pelo uso de absorvente íntimo. A britânica Jemma-Louise Roberts desenvolveu a Síndrome do Choque Tóxico, causada por uma bactéria altamente letal.

+ Schumacher estaria 45 quilos mais magro, diz jornal

A jovem, que praticava natação em um clube na cidade Wigan, região de Manchester, passou a usar absorventes internos por ser uma maneira mais conveniente de continuar treinando durante o período menstrual.

Em entrevista ao jornal Daily Mail na última semana, a mãe da garota, Diane, informou que a filha começou a sentir-se mal durante as férias. Ela apresentava vômitos, náuseas e diarreia. Levada a um hospital, foi diagnosticada inicialmente com norovírus, moléstia que afeta o sistema gastrointestinal e é contraído após o consumo de alimentos crus manipulados inadequadamente.

jemma2
Jovem era nadadora na cidade de Wigan (Foto: Reprodução)

Com o agravamento dos sintomas, Jemma foi levada para o Royal Albert Edward Infirmary, em Wigan, onde foi constada a Síndrome da Choque Tóxico. A doença se manifesta a partir de uma bactéria que vive na pele, nariz ou boca sem oferecer riscos. No entanto ao cair na corrente sanguínea libera toxinas que afeta tecidos internos e externos dos órgãos. 

+ Jovem morre após tomar remédio para emagrecer e mãe faz desabafo

Jemma morreu em fevereiro do ano do ano passado, mas sua família só decidiu agora tornar o caso público. Diane, mãe da menina, disse acreditar que, desta forma, pode alertar outras famílias sobre os perigos da síndrome.

"Nos anos 80, a gente ouvia sobre isso o tempo todo, mas, agora, ninguém fala nada. Meu marido, por exemplo, nunca tinha ouvido falar deste problema. É importante que se tenha informação. Se um pai conhece a doença e sua filha fica doente, ele pode salvar a vida dela. A paixão de Jemma era ensinar crianças a nadar. Ela estava sempre sorrindo, e adorava ajudar os outros", afirmou.

Fonte: VEJA SÃO PAULO