Gastronomia

Onde saborear as delícias baianas de Jorge Amado

De acarajé a cocada, endereços que oferecem quitutes citados nas obras do escritor

Por: Camila Taira - Atualizado em

  • Voltar ao início

    Compartilhe essa matéria:

  • Todas as imagens da galeria:

Amores e aventuras povoam os livros de Jorge Amado (1912-2001). Nas tramas vividas pelos personagens, não faltam doces e pratos típicos da culinária baiana. Em homenagem ao centenário do escritor comemorado no dia 10, preparamos uma lista de endereços onde experimentar algumas delícias estampadas nas páginas de suas obras sem sair da cidade. Confira:

+ Veja galeria de fotos de sete dessas delícias da Bahia

+ Time de chefs comanda Copa Gastronômica na Sala São Paulo

+ São Paulo entra na rota da Oktoberfest

Abarás e acarajés

A protagonista de “Gabriela, Cravo e Canela” era admirada não só por sua beleza, mas por seus quitutes também. No restaurante Acarajé da Dona Inês, chegam a sair 300 unidades por dia do salgado frito no azeite de dendê que dá nome ao local. São vendidos em porções de seis (R$ 20,00) ou por unidade (R$ 7,00). Pelo mesmo preço, é possível pedir o abará: nesse caso, a massa de feijão fradinho em vez de frita é cozida no vapor e enrolada numa folha de bananeira. Quem quiser experimentar os bolinhos de uma só vez, o Na Cozinha prepara a entrada dupla baiana, que custa R$ 27,00.

 

Acarajé da Inês - Delícias da Bahia
Acarajé da Dona Inês: restaurante chega a servir 300 unidades em um dia (Foto: Toni Nogueira)

Vatapá

O prato é servido no alto do Mercado Modelo em “Tenda dos Milagres”. Aqui na capital, o Consulado da Bahia tem no cardápio um vatapá de camarão a R$ 109,00 (para duas pessoas).

Casquinha de caranguejo

Uma das entradas mais comuns nos cardápios de cidades litorâneas, a casquinha de caranguejo é citada em “Os Velhos Marinheiros ou o Capitão de Longo Curso” e “O Sumiço da Santa”. No Telha, a porção individual sai por R$ 7,80. Já no Coco Bambu JK, custa R$ 23,80 e chega à mesa refogada com verduras, cheiro-verde e leite de coco natural. Acompanha farofa de dendê e molho de coco.

Xinxim de galinha

Uma versão "espetacular” é devorada por Vavá e Tereza Batista em “Tereza Batista Cansada de Guerra”. O ensopado de frango do Acarajé da Dona Inês leva farinha de amendoim, gengibre, castanha-de-caju, azeite de dendê, camarão seco e leite de coco. Acompanha caruru, vatapá, farofa de dendê, acarajé e arroz branco e custa R$ 46,50 (para duas pessoas).

+ Concurso Melhor Pastel de Feira de São Paulo terá eleição profissional

+ Veja as novidades das cozinhas paulistanas no blog do Arnaldo Lorençato

Frigideira de camarão

No Bananeira, a frigideira de camarão rosa acompanhada de arroz de coco desfiado leva leite de coco, palmito pupunha e pimenta dedo-de-moça. O prato é finalizado com banana-da-terra, lima-da-pérsia e tomates frescos, e a porção individual sai por R$ 65,00. É muito apreciada pelos personagens de “O Sumiço da Santa” e “Gabriela, Cravo e Canela”.

Bolinho de bacalhau

A receita portuguesa está presente em várias histórias de Jorge Amado. No Da Terrinha, quatro acepipes saem por R$ 9,00. Já no Bacalhoeiro, oito unidades custam R$ 20,00.

Moquecas

A moqueca de siri-mole é o prato predileto de Vadinho, de “Dona Flor e seus Dois Maridos”. Pelo valor de R$ 120,00 (para duas pessoas), essa é uma das catorze variedades oferecidas no Bargaço. O cozido chega fumegante na companhia de arroz, farofa de dendê e pirão. Moquecas baianas, que levam peixe e camarão, também são servidas no Dalva e Dito (R$ 80,00; individual).

Sarapatel

Os "Capitães da Areia" entram no restaurante de João Grande e pagam pelo sarapatel, coisa que não costumava acontecer, já que o bando era conhecido por seus calotes. Para provar o cozido que leva generosos miúdos de carne de porco e que era o prato favorito do escritor, vá ao Mocotó. A porção para duas ou três pessoas sai por R$ 29,90. Também é possível saborear uma porção pequena por R$ 9,90. Em todas as variações, pode-se pedir extras como baião de dois, favada, caldo de mocotó ou feijão-de-corda. 

 

Sarapatel do Mocotó - Delícias da Bahia
Sarapatel: receita representa a Bahia no cardápio do Mocotó (Foto: Divulgação)

Cocada

“No fundo da cidade o circo a domina [...] De noite a música tocará ali e negras venderão cocada”, diz trecho de “Jubiabá”. Por aqui vale a pena experimentar o doce feito na Mussy & Mussy. A proprietária Paula Goes diz que a versão de coco branco (R$ 3,00) é a mais pedida.

Beiju de tapioca

Come-se essa espécie de panqueca baiana em “Tenda dos Milagres”. O Brasil a Gosto faz uma versão própria: a porção individual vem cubinhos temperados de banana da terra grelhada (R$ 19,00).

Baba de moça

O creme de gemas, açúcar e leite de coco era feito por Dona Flor e apreciado por seus dois maridos. E a mesa de sobremesas do bufê do restaurante Bibi tem um lugar reservado para a musse de coco regada por baba de moça. Faz parte da mesa de doces, que durante a semana tem preço fixo de R$ 10,30.

Fonte: VEJA SÃO PAULO