Mistérios da Cidade

Jô Soares integra a Academia Brasileira de Letras; veja outros

Walcyr Carrasco, Mauricio de Sousa e outras personalidades paulistanas também ocupam cadeiras

Por: Mauricio Xavier [Colaborou Andreza Monteiro]

João Soares - VEJASP 30 anos
O apresentador Jô Soares (Foto: Bob Wolfenson)

Humorista, apresentador de TV e escritor (entre outras atividades), Jô Soares tornou-se no mês passado o mais novo integrante da Academia Paulista de Letras. Ele vai ocupar a cadeira 33, que pertenceu ao escritor Francisco Marins. Seu antecessor ficou no posto por cinquenta anos. Jô nasceu em 1938 e escreveu vários livros e peças de teatro, sendo o O Xangô de Baker Street, O Homem que Matou Getúlio Vargas e Humor nos Tempos do Collor alguns dos títulos mais conhecidos.

+ Eataly deve abrir filial na Avenida Paulista em 2017

Ele se junta a outros “acadêmicos” que também são celebridades paulistanas. Confira alguns:

Ignácio de Loyola. Atuou nas revistas CLAUDIA e REALIDADE, da Editora Abril, e escreveu os livros Zero e Não Verás País Nenhum.

ignacio brandao
Ignácio de Loyola (Foto: Divulgação)

Juca de Oliveira. Ator, participou do TBC e do Teatro de Arena em peças como O Pagador de Promessas, além de atuar em inúmeras novelas da TV Globo.

juca de oliveira
Juca de Oliveira (Foto: Divulgação)

Julio Medaglia. Formado em regência sinfônica na Alemanha, o maestro compôs trilhas para cinema e TV e é autor do hino da USP.

julio medaglia
Julio Medaglia (Foto: Divulgação)

Mauricio de Sousa. Criou seu primeiro personagem, o cão Bidu, em 1959, lançou a revista Mônica em 1970 e tornou-se o desenhista mais premiado do país.

mauricio de sousa
Mauricio de Sousa (Foto: Divulgação)

Ruth Rocha. Autora dos livros infantis Bom Dia Todas as Cores e Marcelo, Marmelo,Martelo, entre outros, ganhou vários prêmios.

ruth rocha
Ruth Rocha (Foto: Divulgação)

Walcyr Carrasco. Cronista e autor de peças como Êxtase e novelas como Xica da Silva, Chocolate com Pimenta e Sete Pecados.

walcyr carrasco
Walcyr Carrasco (Foto: Divulgação)

 

Fonte: VEJA SÃO PAULO