CIDADE

"Invasores levaram computadores", diz diretora do Centro Paula Souza

Laura Laganá afirma que polícia deteve cinco pessoas  que levavam equipamentos retirados do prédio no centro da capital 

Por: Veja São Paulo - Atualizado em

Centro Paula Souza
Computadores apreendidos com jovens que estavam na ocupação do Centro Paula Souza (Foto: Newton Menezes/Futura Press/Folhapress)

A invasão de estudantes no Centro Paula Souza terminou na manhã desta sexta (6), mas causou prejuízos à autarquia estadual responsável por gerir as escolas técnicas estaduais. Pela manhã, policiais militares retiraram os manifestantes do prédio no bairro de Santa Efigênia, onde estavam acampados desde o dia 28 em protesto pela a melhoria da qualidade da merenda escolar.

De acordo com Ruben Pimenta, diretor de Tecnologia da Informação e Comunicação do Centro Paula Souza, foram levados notebooks e telefones móveis, que só funcionam dentro da unidade. Durante a ocupação, câmeras de vigilância foram desconectadas e portas, arrombadas. Funcionário do Bando de Dados da instituição, Erick do Nascimento afirmou que os jovens mexeram em sua mesa, mas nada foi levado. “Abriram gavetas, bagunçaram os meus pertences, mas, felizmente, está tudo aqui”, disse ele.

Centro Paula Souza
Computadores foram levados do centro, segundo a direção da unidade (Foto: Ana Luiza Cardoso)

Em entrevista coletiva nesta manhã, a diretor superintendente do Centro Paula Souza, Laura Laganá, afirmou que a polícia deteve cinco jovens (um deles menor de idade) que portavam alguns dos equipamentos. "Acabamos de entrar no prédio e orientamos os funcionários a fazer um levantamento sobre itens que foram levados durante a invasão desses vândalos”, afirmou Laura.

centropaulasouza
Pertences de manifestantes que invadiram o Centro Paula Souza (Foto: Ana Luiza Cardoso)

+ PM faz blitz contra racha na marginal

Segundo ela, a polícia já realizou perícia no prédio. "Agora é questão da Secretaria da Segurança Pública.” Laura disse ainda que a ocupação contou com a participação de pessoas que não são estudantes da rede pública de ensino.

Durante a reintegração de posse, os manifestantes também deixaram alguns de seus pertences no local, entre eles  alimentos, cobertores, mochilas e até um violão. De acordo com Laura, será feito um levantamento para catalogar e devolver os itens. 

Fonte: VEJA SÃO PAULO