Acidente

Famílias de operários da Arena Corinthians recebem 3 milhões de indenização

Acordo foi firmado extrajudicialmente; acidente aconteceu em 27 de novembro do ano passado

Por: Redação VEJASAOPAULO.COM

Queda- guindaste - Itaquerão
No momento do acidente, o guindaste içava o último módulo da estrutura da cobertura metálica (Foto: Ivan Pacheco/VEJA)

O acidente na Arena Corinthians, que matou dois operários em 27 de novembro do ano passado, gerou uma indenização milionária e de valor recorde na construção civil no Brasil. As famílias do operador de guindaste Fábio Luiz Pereira, de 42 anos, e do montador Ronaldo Oliveira dos Santos, de 44 anos, receberão, juntas, o montante de 2,9 milhões de reais. 

O acordo foi firmado extrajudicialmente entre a Odebrecht, responsável pela obra, e os advogados das famílias. Caso fosse para os tribunais, a briga se arrastaria por muito mais tempo e, segundo advogados e engenheiros, ultrapassaria facilmente os 800 000 reais em indenização para cada um, fora os custos extras de um processo.

A família de Fábio Luiz Pereira, que deixou a mulher e três filhas em Limeira (SP), recebeu 1,6 milhão. Já os parentes de Ronaldo Oliveira dos Santos, que tinha um filho em São Paulo e sustentava a mãe em Caucaia (CE), ficam com 1,3 milhão.

Acidente semelhante nos Estados Unidos rendeu indenização de aproximadamente 100 milhões de dólar para três famílias. Além disso, o acidente foi responsável em mudar as leis de segurança do trabalho, que ficaram mais rígidas. Em julho de 1999, um guindaste desabou durante a construção de um estádio de baseball em Milwaukee. Três funcionários morreram. Após julgamento, as famílias dividiram o valor.

 

 

 

 

Fonte: VEJA SÃO PAULO