Vale a viagem

Harry Pisek: salsichas de chef

Dono de salsicharia comemora dez anos em Campos do Jordão com um festival de embutidos

Por: Arnaldo Lorençato - Atualizado em

Paulistano filho de austríacos, Harry Pisek subiu a serra dez anos atrás. Trocou a agitação da capital pelo cenário tranqüilo e montanhoso de Campos do Jordão para abrir um restaurante com seu nome. Levava uma idéia original: servir pratos preparados com salsichas artesanais fabricadas por ele. "Corri um risco danado de não dar certo, uma vez que esse tipo de embutido no Brasil está diretamente associado a sanduíches", lembra. A qualidade dos ingredientes, porém, garantiu o sucesso. Em comemoração à primeira década de atividade, Pisek organiza um festival que começa neste sábado (2) e se estende até agosto. A cada semana, ele recebe um chef diferente para cozinhar por dois dias no almoço. Seu convidado de estréia é Giovanni Abbate, do Don Fabrizio, de Arraial d'Ajuda (BA). Depois, seguem-se nomes como os de Raphael Durand Despirite, do Marcel, em São Paulo, e Beth Beltrão, do Viradas do Largo, de Tiradentes (MG).

Curiosamente, nenhum dos cozinheiros usará os mais de trinta tipos de salsicha produzidos pelo especialista. "Eles trarão sugestões de seus restaurantes", conta. No menu especial, que custa 45 reais, as salsichas podem aparecer apenas como entrada. O misto de açougueiro e chef – dono de um quadro quinzenal no programa Mulheres, de Cátia Fonseca, na TV Gazeta – aprendeu a elaborar o produto em pequenos frigoríficos da Alemanha. Na estância de inverno, aprimorou a fórmula ao acrescentar matérias-primas como pistache e queijo emmental. Depois de muito hesitar, Pisek planeja abrir uma filial na Vila Mariana. "Se tudo der certo, volto a São Paulo no segundo semestre deste ano", adianta.

• Salsicharia Harry Pisek. Avenida Pedro Paulo, 857, Caminho do Horto, tel: (12) 3663-4030.

Fonte: VEJA SÃO PAULO