Joias

Três perguntas para Guy Semon, responsável pelo desenvolvimento da TAG Heuer

Criador do relógio Mikrogirder, premiado em 2012 como o modelo do ano , ele fala sobre a diferença entre homens e mulheres na hora de escolher um relógio

Por: Patricia Moterani - Atualizado em

guy semon_tag heuer
Guy Semon: desde 2007 no comando da criação dos relógios TAG Heuer (Foto: Divulgação)

O francês Guy Semon não tinha familiaridade com a criação de relógios quando assumiu, em 2007, o Centro de Pesquisa e Desenvolvimento da TAG Heuer, centenária grife suíça de relógios. "Apenas admirava os relógios, mas sequer era um colecionador", diz. Engenheiro náutico de formação e ex-piloto de testes do Departamento de Defesa da França, ele usou sua experiência com fórmulas físicas e matemáticas aplicadas no mercado aeroespacial para criar o Mikrogirder, um modelo com cronógrafo de precisão inédita na TAG Heuer — consegue medir meio milésimo de um segundo — , pelo qual levou o Grande Prêmio da Relojoaria de Genebra em 2012. "A principal corrida na indústria relojoeira sempre será pela precisão. É isso o que determina um bom relógio", afirma. Em visita a São Paulo, onde a grife inaugurou recentemente sua primeira loja, no shopping Cidade Jardim, ele falou a VEJA LUXO:

O que um relógio diz sobre alguém?

Comprar um relógio tem a ver, basicamente, com dois pontos: o design da peça e a tecnologia. Quem faz essa compra, portanto, é alguém ligado nisto, ainda mais hoje, quando é fácil substituir a marcação do tempo somente por diversos dispositivos eletrônicos. Por isso até o design e a precisão têm sido mais importantes do que nunca. Quem compra um relógio compra também um estilo, e isso varia, obviamente, com o modelo escolhido. Mas é alguém que entende o poder de fascínio, e a tradição, do objeto. "Mostre-me o seu relógio e eu te direi quem és" é uma adaptação muito válida do ditado.

Você acha que as mulheres procuram por modelos fashion enquanto os homens preferem a tecnologia?

Esta é a percepção geral, mas posso afirmar que as mulheres não procuram mais apenas por brilhantes ou detalhes que transformam um relógio em um acessório de moda. Elas invadiram também este mercado e se ligam cada vez mais na tecnologia da peça, no que está dentro da caixa e por baixo do mostrador. Claro que o apelo do design ainda seduz mais facilmente as mulheres, mas não é isso apenas o que faz com que elas comprem. Não são poucas as que, inclusive, usam os modelos masculinos, às vezes emprestado de seus maridos. Mas o fato é que estamos trabalhando em um novo modelo feminino, com lançamento previsto para o segundo semetre de 2013, e será a criação mais tecnológica até aqui.

No que devemos prestar atenção ao comprar um relógio?

Antes de tudo, na precisão em marcar o tempo. Isso é a base e o determinante. E é algo muito difícil de alcançar e manter. Demanda investimento, pesquisa, tecnologia. Este deve ser o ponto principal da compra, tanto para um modelo que servirá de cronômetro para medir o tempo em competições quanto para aquele relógio que você escolherá para usar durante um jantar com a sua mulher. Depois, preste atenção em como essa informação é apresentada. De nada adianta um mostrador que não seja organizado ou tenha elementos que prejudiquem a visualização.

 

Fonte: VEJA SÃO PAULO