Negócios

Galpão na Vila Leopoldina vira garagem de automóveis antigos

Mais de quarenta veículos já são abrigados

Por: Filipe Vilicic - Atualizado em

Quando criou sua empresa, especializada em guardar automóveis de colecionadores, o economista Guilherme Junqueira dizia que o lugar era uma espécie de marina para carros. "Uma carina", brincava ele. Batizado de Garage, o negócio ocupa um galpão de 1 200 metros quadrados na Vila Leopoldina, atualmente abrigo de mais de quarenta veículos. Há, por exemplo, um Buick Century de 1957, avaliado em 280 000 reais, um Mustang dos anos 60 e um Maverick 302 V8 da década de 70. "É bom ter um lugar onde tratam corretamente meus carros", diz o administrador de empresas Francisco Javier Gil, cliente que deixa ali quatro possantes, entre eles um Dodge Charge RT de 1978. "Fico tranquilo por saber que alguém cuida de tudo, do óleo à limpeza."

Junqueira montou sua "carina" em março de 2005. Colecionador, ele espalhava seus quinze automóveis (incluindo um Chevrolet Bel Air de 1955, cotado em 180 000 reais) por diversos estacionamentos do Morumbi. E vivia levando sustos. "Uma vez, minha BMW de 60 000 reais apareceu manchada de tinta branca", conta. Para que seus queridos de quatro rodas não fossem maltratados, alugou o galpão com um sócio, proprietário de outros cinco veículos. Con-trataram um funcionário para limpar, vigiar, encher pneus... Enfim, atuar como um misto de mecânico, manobrista e babá. Depois de acomodarem os carros de cada um, sobrou espaço. "Foi quando resolvemos abrir as portas para alguns amigos", afirma Junqueira. Guardar o automóvel ali custa 300 reais por mês – motos com até 1 000 cilindradas pagam 200 reais. "No começo, eu e meu sócio arcávamos com quase todas as despesas. Hoje, já pensamos em lucrar com a empreitada."

Fonte: VEJA SÃO PAULO