Turismo

Fim de semana no Rio: restaurantes

Por: Fernanda Thedim - Atualizado em

Bar Lagoa. A arquitetura art déco está intacta desde sua fundação, há 73 anos, quando se chamava Bar Berlim. Com a eclosão da II Guerra, os proprietários mudaram o nome para Bar Lagoa. Os resquícios germânicos permaneceram no cardápio e no chope, bem tirado. Os carros-chefes são o salsichão (R$ 24,00, duas unidades) e o kassler (R$ 30,00, duas unidades), servidos com salada de batata ou chucrute. Localizado em frente à Lagoa Rodrigo de Freitas, o bar tem na varanda sua área nobre, com ambiente informal. Avenida Epitácio Pessoa, 1674, Lagoa, tel: (21) 2523-1135 (300 lugares). 12h/2h (sex. a dom.). www.barlagoa.com.br. Brasserie Rosário. Durante a semana, os executivos predominam. Aos sábados, os visitantes dos centros culturais vizinhos (Banco do Brasil, Correios e Casa França-Brasil) são maioria nesse casarão de 1865 que abriga restaurante, delicatessen e cafeteria. Localizada no centro histórico, a brasserie tem pé-direito com 16 metros e clarabóia. Dispõe de farta seleção de sanduíches. Quem quiser refeição mais encorpada pode compor um menu com antepastos, saladas, quiches, grelhados e pratos como o cherne grelhado com cuscuz marroquino e espuma de manjericão (R$ 48,00). Com o cafezinho, prove o financier de castanha-de-caju (R$ 42,00, o quilo). Rua do Rosário, 34, centro, tel: (21) 2518-3033 (96 lugares). 11h/20h (sex.) e 11h/18h (sáb.). www.brasserierosario.com.br. Cipriani. É o máximo da sofisticação na gastronomia carioca. Situado no Hotel Copacabana Palace, em frente à famosa pérgula e com vista para o mar, o restaurante ostenta requintes como talheres italianos de prata, taças alemãs de cristal, toalhas belgas de puro linho e arranjos de rosas colombianas. O italiano Francesco Carli comanda as caçarolas. Quem é mais conservador no paladar pode optar pelo carpaccio de contrafilé com pedacinhos de parmesão e rúcula (R$ 52,00) ou o talharim verde de espinafre gratinado com molho branco (R$ 56,00). Para aqueles que preferem uma opção mais moderna, uma boa pedida é o filé de vitela com shiitake e pupunha (R$ 79,00). Só com reserva. Avenida Atlântica, 1702, Copacabana, tel: (21) 2545-8747 (78 lugares). 12h30/15h e 19h/1h (sex. e sáb.), e 12h30/16h e 19h/0h (dom.). www.copacabanapalace.com.br. Confeitaria Colombo. Inaugurada em 1894, a casa é um túnel do tempo para a belle époque carioca. Os salões com gigantescos espelhos belgas, mármores italianos e mobiliário de jacarandá acolheram Olavo Bilac, Rui Barbosa e Villa-Lobos. Vale a ida nem que seja para um chá com gaufrettes, biscoitos em formato de leque. No almoço de sábado (12h/16h), a atração é a feijoada no restaurante Cristóvão, que fica na sobreloja, a R$ 44,50 por pessoa. A confeitaria tem endereço à beira-mar. É o Café do Forte, dentro do Forte de Copacabana, no Posto 6, que alia as comidas ligeiras à vista da praia. Rua Gonçalves Dias, 32, centro, tel: (21) 2232-2300 (350 lugares). 8h/20h (sex.) e 9h30/17h (sáb.). Café do Forte, Praça Coronel Eugênio Franco, 1, tel: (21) 3201-4049 (144 lugares). 10h/20h (sex a dom.). www.confeitariacolombo.com.br. Copa Café. Na orla de Copacabana, dominada pelos rodízios de petiscos, o Copa Café é um oásis de qualidade. A casa tem público diversificado, de moradores do bairro a artistas. Para somente petiscar e bebericar, fique no bar do térreo. Os canapés de foie gras com geléia de frutas (R$ 28,00, seis unidades) são ótimos. Quem busca o menu completo deve ir ao 1º andar. Uma boa seqüência é o steak tartar com mesclun de folhas (R$ 18,00), seguido pelo hambúrguer de cordeiro com molho de vinho e ervas (R$ 28,00) e fondant de chocolate com calda de café (R$ 12,00). Reserve mesa e garanta a vista privilegiada para o mar. Avenida Atlântica, 3056, Copacabana, tel: (21) 2235-2947 (70 lugares). 19h/2h (sex. a dom.). Da Silva. É um restaurante por quilo, com filas extensas no fim de semana. Calma! A fila não é motivada só pelo preço, mas, principalmente, pela qualidade da comida. O Da Silva pertence aos mesmos donos do Antiquarius, no Leblon, vencedor na categoria de melhor cozinha portuguesa em todas as dez edições do especial Comer & Beber – O Melhor da Cidade, de Veja Rio. No bufê há clássicos como o arroz de pato e o bacalhau espiritual (desfiado e gratinado com creme de leite), além da feijoada, servida às sextas e aos sábados, e do cozido, aos domingos, ambos no almoço (R$ 44,40 o quilo). A festa portuguesa continua na sobremesa, com doces vindos da matriz do Leblon. Rua Barão da Torre, 340, Ipanema, tel: (21) 2521-1289 (90 lugares). 11h30/17h e 19h/2h (sex. a dom.). Roberta Sudbrack. Durante sete anos, ela foi a chef do Palácio da Alvorada. Ao fim do mandato de FHC, Roberta trocou Brasília pelo Rio e abriu seu restaurante no Jardim Botânico. O destaque é uma mesa coletiva para dezoito comensais, onde no jantar de sexta e sábado é servido o menu degustação, com até catorze pratos, que variam sempre. São receitas como o foie gras em geléia de abacaxi e o quiabo recheado com camarão. O menu custa R$ 190,00. Com bebidas harmonizadas, o preço sobe para R$ 270,00. O almoço de sexta é mais em conta: R$ 80,00 (entrada, prato principal e sobremesa). Roberta foi eleita, em 2006, a chef do ano em Comer & Beber – O Melhor tel:da Cidade, especial de Veja Rio. Faça reserva. Avenida Lineu de Paula Machado, 916, Jardim Botânico, (21) 3874-0139 (64 lugares). 12h/15h (sex.) e a partir das 20h30 (sex. e sáb.). www.robertasudbrack.com.br.

Fonte: VEJA SÃO PAULO