Exposições

Mostra sobre Cazuza tem karaokê coletivo e objetos pessoais do cantor

Museu da Língua Portuguesa retrata ainda momentos importantes da música brasileira por meio de diversas instalações interativas

Por: Marcus Oliveira - Atualizado em

  • Voltar ao início

    Compartilhe essa matéria:

  • Todas as imagens da galeria:

As poesias cantadas por Cazuza ganham formas e imagens no Museu da Língua Portuguesa. A exposição CAZUZA mostra sua cara ocupa todo o endereço - inclusive os banheiros - e  leva o público a uma viagem interativa pela história do país por meio das músicas Ideologia e Exagerado, compostas pelo artista.

Com a curadoria do arquiteto e cenógrafo Gringo Cardia, é a primeira vez que um músico no estilo de Cazuza recebe uma homenagem no espaço, onde já tiveram vez escritores como Fernando Pessoa, Machado de Assis e Clarice Lispector.

Os onze ambientes espalhados principalmente pelo primeiro andar são percorridos em cerca de 40 minutos. Logo na recepção, as paredes trazem imagens de rostos com frases do compositor. Encontram-se depois objetos pessoais, como tênis e camisetas, que remetem às manifestações populares que ocuparam as ruas do Brasil no mês de junho.

Durante os protestos, muitos cartazes continham citações do artista. Eles foram usados em um trecho da mostra apelidado pelos organizadores de "Cazuza black block", por conta de uma foto em que ele aparece com o rosto coberto. Estão ainda à disposição dos visitantes um karaokê - dois sucessos podem ser cantados no microfone, e um telefone que simula um bate-papo com Cazuza.

Exposição Cazuza Museu da Língua Portuguesa
Sala da exposição CAZUZA mostra sua cara traz pensamentos do artista sobre temas variados (Foto: Mário Rodrigues)

Ao fim, é possível escolher entre 42 trechos de músicas e tirar uma foto, que será mandada na hora para o e-mail de cada frequentador. As melhores imagens do dia serão coladas na parede, substituindo as demais. O serviço tem horário de funcionamento, das 11h às 14h e das 14h30 às 17h. 

Confira dez bons motivos para não perder a exposição:

1 - É uma grande oportunidade para mergulhar no universo despojado, poético e político do cantor;

2 - Além da vida do músico, são retratados diversos momentos e estilos da música brasileira a partir dos anos 1930;

2 - É possível ver de perto alguns objetos pessoais de Cazuza, incluindo os clássicos óculos escuros e a bandana. Tudo direto do arquivo pessoal de sua mãe, Lucinha Araújo;

3 - Uma sala simula como funciona o pensamento de um poeta, por meio de luzes e ruídos e de um corredor de espelhos com trechos de canções;

4 -  E se houvesse como falar com o próprio Cazuza? Um telefone surpreende o público ao criar um bate-papo com o cantor;

5 -  O karaokê com dois hits de Cazuza certamente fará sucesso entre os grupos de amigos mais desinibidos;

6 - Até os banheiros têm referências ao compositor, com projeções de shows e relatos de pessoas próximas a ele;

7 - O espaço Cazuza por Cazuza é composto por livros cenográficos gigantes. O visitante escolhe uma palavra-chave e assiste a um depoimento de Cazuza relacionado ao tema;

8 - Sua foto com uma frase do cantor pode fazer parte da mostra;

9 - Às terças, endereço fica aberto até as 22h e a entrada é gratuita. Aos sábados também é de graça e nos demais dias o ingresso sai por R$ 6,00 a inteira e R$ 3,00 a meia;

10 - Após o passeio, atravesse a avenida e faça um lanchinho na cafeteria da Pinacoteca. Nos dias ensolarados, aproveite para conhecer o Parque da Luz, pertinho do museu.

 

Fonte: VEJA SÃO PAULO