Mistérios da Cidade

Elisabete Sato: a nova chefona do DHPP

“Acho que ajudei a abrir caminho para outras”, afirma a primeira mulher a assumir a diretoria do Departamento

Por: Maurício Xavier [com reportagem de Flora Monteiro e Mariana Barros] - Atualizado em

Elisabete Sato - Diretora do DHPP
A paulistana em seu gabinete: filha de um tintureiro japonês e de uma empregada doméstica mineira (Foto: Lucas Lima)

Fã de salto alto (“não menor que 7 centímetros”), a paulistana Elisabete Sato, 56 anos e 1,58 metro de altura, é a primeira mulher a assumir a diretoria do Departamento Estadual de Homicídios e Proteção à Pessoa, o DHPP.

Há 36 anos na Polícia Civil,ela iniciou como escriturária do Deic, onde então trabalhava o tenebroso delegado Sérgio Fleury. “Na época, quase não se viam mulheres nos corredores”, diz ela, filha de um tintureiro japonês e de uma empregada doméstica mineira. “Acho que ajudei a abrir caminho para outras.”

Abaixo, outras pioneiras das forças policiais:

Tabela - DHPP
(Foto: Veja São Paulo)

Fonte: VEJA SÃO PAULO