Polêmica

Hotel de luxo no litoral irrita hóspedes com opiniões políticas

DPNY Beach Hotel & Spa, em Ilhabela, pediu a renúncia da presidente Dilma Rousseff em post no Facebook

Por: Veja São Paulo - Atualizado em

14 DPNY 008
O DPNY, no litoral norte de São Paulo: polêmica nas redes sociais (Foto: Divulgação)

A crise política chegou à praia. O luxuoso DPNY Beach Hotel & Spa, em Ilhabela, envolveu-se em uma polêmica ao manifestar opiniões na internet na última segunda (21). Entre fotos de paisagens e informações sobre pacotes, um post pedindo a renúncia da presidente Dilma Rousseff (PT) gerou discussão no Facebook e acabou excluído da página do empreendimento na rede social. Até a última verificação, a publicação registrava mais de 3 500 de curtidas.

+ Vice-presidente do Corinthians é preso em nova fase da Lava Jato

Outros conteúdos compartilhados ali desde então — de temas tão aleatórios quanto o menu especial de Páscoa — também foram alvo de comentários. "Bom saber o posicionamento do hotel. Significa que entre as minhas opções em Ilhabela, o DPNY Beach Hotel & Spa será a ÚLTIMA ! #NãoVaiTerGolpe", disse uma internauta que apoia a manutenção do governo. A administração tem ocultado posicionamentos deste teor.

DPNY Hotel Ilhabela
(Foto: Reprodução/Facebook)

Desde 2014, o site do hotel mantém uma área intitulada "Cartas Abertas", na qual são publicados textos sobre temas que fogem ao universo do turismo. Na assinatura, sempre o nome do hotel.

Um texto datado de setembro do ano passado defendia, curiosamente, colocava em xeque os pedidos de impeachment da presidente. A mensagem trazia dezenoves perguntas questionando os pedidos de saída de Dilma, como "Ela pessoalmente tem culpa do sistema eleitoral no Brasil?, Por que ela foi reeleita presidente República do Brasil com 51,64% e Por que ela é mulher?". A mensagem ainda dizia que era "o momento de ajudar o Brasil" e de "defender e fortalecer a democracia e o estado de direito". Quando foi divulgado no Facebook, em dezembro, registrou números impressionantes: foram mais de 5 000 compartilhamentos, 57 000 curtidas e 1 000 comentários. 

"Sendo o DPNY um hotel, onde pessoas de diferentes opiniões e culturas buscam o descanso, não deveria se pronunciar sobre tema algum que crie estresse, menos ainda tomar partido", disse uma seguidora ."Saibam que faço QUESTÃO DE NUNCA MAIS POR OS PÉS AQUI. Seus hipócritas", prometeu a hóspede.

+ Hotel DPNY, em Ilhabela, é acusado de maltratar clientes

Em 2009, o hotel foi manchete de outro caso polêmico. O empresário alemão Wolfgang Ingo Napirei, dono do empreendimento, e cerca de quinze seguranças foram acusados de discutir e agredir fisicamente um grupo de hóspedes que comemorava o noivado de um amigo. Reportagem de VEJA SÃO PAULO à época revelou que a delegacia de Ilhabela contabilizava pelo menos outros onze boletins de ocorrência relatando algum tipo de agressão.

O DPNY Beach Hotel & Spa figura entre os mais luxuosos do litoral paulista. O pacote com quatro diárias durante o feriado de Tiradentes, em abril, custa a partir de 3 990 reais para o casal. No Réveillon, esse valor pode superar 30 000 reais. Procurados, os responsáveis pelo hotel não comentaram o caso. 

Fonte: VEJA SÃO PAULO