Mistérios da Cidade

Distribuição de comida a mendigos provoca discussão

Segundo a prefeitura, esse tipo de ação colabora para a permanência de muitos moradores na rua

Por: Mauricio Xavier [Com reportagem de Flora Monteiro e Jéssika Torrezan] - Atualizado em

Sopa para mendigos
Pesquisa: 55% dos sem-teto paulistanos vivem no centro e 16% deles se alimentam dessas refeições gratuitas (Foto: Thinkstock)

A ideia de proibir a distribuição de comida a mendigos vem causando muita confusão. Segundo a prefeitura, esse tipo de ação colabora para a permanência de muitos moradores na rua, quando o ideal é estimular a ida deles para abrigos. Devido à polêmica provocada pelo assunto, a Secretaria Municipal de Assistência Social fala agora apenas em disciplinar a atividade, limitando a doação a nove pontos da cidade controlados pela prefeitura. Segundo uma pesquisa recente, 55% dos sem-teto paulistanos vivem no centro e 16% deles se alimentam dessas refeições gratuitas.

+ USP promove tours temáticos gratuitos na Cidade Universitária

+ Veja as estreias de cinema da semana

■ População estimada de moradores de rua na região central — 3.700

■ Número de entidades de apoio — 48

■ Principais pontos de distribuição — Largo São Francisco e Pátio do Colégio

■ Refeições mais frequentes — Sopa, arroz com carne, feijoada, macarrão e sanduíche

Fonte: VEJA SÃO PAULO