Gastronomia

Dia do Nordestino: dez restaurantes para celebrar com comidas típicas

Com cerca de 35% da população descendente ou migrante da região, é fácil encontrar casas em São Paulo que sirvam receitas tradicionais

Por: Daniel Ottaiano - Atualizado em

Consulado da Bahia
Moqueca mista de pescada-amarela e camarão; aroma de azeite de dendê, do Consulado da Bahia (Foto: Mario Rodrigues)

O Dia do Nordestino é comemorado em 8 de outubro. A homenagem foi instituída pela Câmara Municipal como data oficial em 2009. Com cerca de 35% da população descendente ou migrante do Nordeste, é fácil encontrar restaurantes em São Paulo que sirvam a comida típica, como acarajés, carne-de-sol e caranguejo.

Para celebrar o dia, confira dez restaurantes que oferecem receitas tradicionais nordestinas.

Amigos do Picuí O carro-chefe da casa é a carne-de-sol, que aparece em diversos pratos. Na entrada, vem moída, com cebola e farinha, para compor a paçoca. Como prato principal, aparece assada na brasa, como filé-mignon ou picanha. A culinária típica nordestina também aparece nos sucos de frutas locais, a exemplo dos de cajá e umbu.

Andrade O cardápio apresenta pratos da cozinha sertaneja e da orla nordestina. Em porções para duas pessoas, há carne-de-sol de filé-migon com baião de dois. Entre os frutos do mar, oito versões de moqueca, como a de namorado preparada em panela de barro.

BargaçoO restaurante foca nos pratos baianos, como as moquecas preparadas com leite de coco e azeite de dendê, que podem vir com siri mole, lagosta e polvo, entre outras iguarias. Há também bobó de camarão e peixe assado inteiro.

Barra Baiana Não falta na cozinha baiana de Vanilda Barreto de Moraes a porção de acarajé, com quatro unidades. O sarapatel com arroz é opção de prato principal, assim como a moqueca de frutos do mar. O cuscuz de tapioca é boa pedida de sobremesa.

Centro de Tradições Nordestinas As comemorações do Dia do Nordeste começam às 11h no CTN. Além de atrações como um sanfoneiro e a presença de repentistas, há opção de almoçar uma comida típica no restaurante. Há pratos como baião de dois, buchada de bode, escondidinho, sarapatel, tapioca e rapadura.

Colher de Pau A casa segue o cardápio da matriz em Fortaleza e apresenta muitas opções de frutos do mar, como patinha de carangueijo e casquinha de camarão. Também como entrada, há carpaccio de carne-de-sol. Entre os pratos principais, há opções como carne-de-sol servida com baião de dois e paçoca.

Consulado da Bahia O acarajé e o queijo coalho com crosta de hortelã são opções de entrada. Entre os pratos principais, brilham as diversas versões de moqueca, como a de lagosta e a de pescada e camarão. Entre as sobremesas, há pudim de leite com calda de gengibre e cocada cremosa com abacaxi.

Empório Nordestino A principal atração do menu é o churrasco de carne-de-sol, que aparece em sete versões, como a paraibana, feita com contrafilé na brasa com manteiga de garrafa e coberto de queijo de coalho e feijão tropeiro, paçoca, arroz, vinagrete e purê de mandioca.

Galinhada do Bahia Como não poderia deixar de ser, boa parte do cardápio dedica-se a receitas diversas de galinhada. Como rodízio ou self-service, é possível provar também camarão na moranga, bucho de carneiro recheado de miúdos, frango assado, galinha de cabidela, baião de dois e feijão tropeiro.

Mocotó Da cozinha do chef Rodrigo Oliveira saem pratos como carne-de-sol na chapa guarnecida de pimenta-biquinho, alho assado e chips de mandioca. Também fazem sucesso o atolado de bode e o caldo de mocotó. O pudim de tapioca e o sorvete de rapadura encerram a refeição.

Fonte: VEJA SÃO PAULO