Bar

Choperia Devassa troca Jardins por Moema após quatro meses fechada

Entre as versões de chopes disponíveis, ganham destaque a loura, a ruiva, a negra, a índia e a sarará

Por: Helena Galante - Atualizado em

Choperia Devassa 2189
O agitado ambiente: a decoração segue o modelo carioca (Foto: Fernando Moraes)

Desde que foi comprada, há três anos, pela Schincariol e lançou uma série de comerciais polêmicos estrelados pela socialite Paris Hilton, a marca de origem carioca Devassa vem sendo associada ao seu produto mais simples, uma cerveja pilsen. Mas seu grande atrativo é a linha de chopes — produzida artesanalmente na cidade fluminense de Cachoeiras de Macacu e servida com exclusividade nas lojas da rede. Por aqui, a primeira choperia Devassa foi inaugurada há quatro anos, nos Jardins, e fechou em maio passado. Reaberta em setembro, agora em Moema, a casa volta a oferecer suas bebidas premium aos paulistanos.

Tanto a decoração como o cardápio harmonizado seguem o modelo da matriz, no Rio de Janeiro. No movimentado ambiente, a diversão é experimentar pelo menos um chope de cada barril. Comece pela versão loura (claro, R$ 5,00), depois vá para a ruiva (avermelhado), a negra (escuro) e a índia (pale ale, R$ 5,40 cada uma). Também agrada a de trigo, apelidada de sarará (R$ 8,10). Dos fartos petiscos, o meu chapa camarão       (R$ 38,90) traz o crustáceo frito com casca sobre lâminas de alho. Outra sugestão são os bolinhos de carne-seca e mandioca (R$ 23,90). Apesar de não serem o forte do lugar, drinques como a caipirosca de vodca nacional e lima-da-pérsia (R$ 9,90) apresentam resultados razoáveis. Está prometida para os próximos dias a abertura de uma nova unidade na Rua Bela Cintra. Outras duas, em Higienópolis e na Vila Olímpia, devem começar a funcionar até o fim do ano.

BEBIDAS ✪✪✪ | AMBIENTE ✪✪ | COZINHA ✪✪✪

Fonte: VEJA SÃO PAULO