Arena Corinthians

Defesa Civil acredita que houve falha de procedimento em acidente

Depois de vistoria, coronel Jair Paca de Lima disse que estrutura do estádio não foi comprometida

Por: Redação VEJASÃOPAULO.com - Atualizado em

A Defesa Civil realizou no fim da manhã desta quinta-feira (28) uma nova vistoria no Itaquerão e, de acordo com o coordenador do órgão, o coronel Jair Paca de Lima, uma falha de procedimento deve ter sido a causa do acidente que matou duas pessoas na tarde de quarta-feira (27).

“A falha pode ter sido humana ou técnica, de equipamento mesmo”, disse. Questionado sobre a hipótese de afundamento do solo, o coronel afirmou que isso não era visível a olho nu. "Se o solo realmente cedeu, foi coisa de 2 ou 3 centímetros, algo que não conseguimos visualizar. Só com equipamento de alta tecnologia saberemos se isso aconteceu e foi determinante para o acidente.”

+ Funcionários dormiam durante o acidente

Em entrevista coletiva logo depois da vistoria, o coronel minimizou as consequências do deslizamento do guindaste e disse ainda que a estrutura não foi comprometida. Segundo ele, o impacto visual é maior que a gravidade da ocorrência. "A peça não tombou, ela deslizou, e por isso o impacto não foi tão grande."

Mesmo depois do fim do luto oficial de três dias, decretado pela Odebrecht e pelos trabalhadores em respeito à memória das vítimas, a parte leste da construção do estádio, onde caiu o guindaste, continuará paralisada. O restante das obras volta à operação normal na segunda (2). A Defesa Civil vai manter viaturas ao lado de onde o guindaste caiu e se for necessário vai realizar novas vistorias.

O Itaquerão está prometido para dezembro, mas é possível que atrase por causa do acidente. Em junho deste ano, quando a Odebrecht tentava marcar a entrega para 2014, a Fifa acordou publicamente com a construtora e Andrés Sanchez , ex-presidente do Corinthians, que a arena ficaria pronta ainda em 2013

 

Fonte: VEJA SÃO PAULO