Copa do Mundo

Rodízio de veículos será ampliado nesta terça-feira

A ação pretende facilitar a locomoção dos paulistanos que vão sair do trabalho mais cedo para acompanhar a partida entre Brasil e Alemanha

Por: Redação VEJASAOPAULO.COM - Atualizado em

O rodízio em São Paulo será ampliado novamente nesta terça-feira (8), por causa do jogo entre Brasil e Alemanha, às 17h, no Mineirão, em Belo Horizonte. Com isso, veículos com placas com finais três e quatro não poderão circular pela cidade das 7h às 20h.

+ Copa do Brasil é a melhor dos últimos tempos, diz colunista inglês

As faixas exclusivas de ônibus também terão horário especial, funcionando das 6h às 20h. O objetivo da prefeitura é facilitar a locomoção dos paulistanos que vão sair do trabalho mais cedo para acompanhar a partida.

+ Site "flagra" estrangeiros bonitos passeando pelo Brasil

A Linha 4 - Amarela do Metrô aumentará o número de trens circulando a partir das 11h para atender a demanda antecipada de passageiros.

Vila Madalena

De acordo com a prefeitura, 160 banheiros químicos serão espalhados pelo bairro nesta terça-feira. Além disso, fiscais vão coibir a ação de ambulantes.

A operação da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) na Vila Madalena começa a partir das 12 horas no chamado quadrilátero. Além da proibição de estacionamentos, não será permitido trafegar com veículos nos seguintes cruzamentos: Rua Wisard com Rua Girassol; Rua Girassol com Rua Aspicuelta; Rua Aspicuelta com Rua Simão Alvares; Rua Simão Alvares com Rua Ministro Costa e Silva; Rua Mourato Coelho com Rua Inácio Pereira da Rocha; Rua Inácio Pereira da Rocha com Fidalga; Rua Morás com Rua Wisard; Rua Fradique Coutinho com Rua Purpurina; Rua Fidalga com Rua Purpurina; Rua Mourato Coelho com Rua Cardeal Arcoverde.

Confira o melhor da cidade agora

Na quarta-feira (9), Argentina e Holanda se enfrentam às 17h, na Arena Corinthians, em Itaquera, na Zona Leste. Apesar do confronto, o rodízio de veículos não funcionará, por causa do feriado estadual da Revolução Constitucionalista de 1932.

Fonte: VEJA SÃO PAULO