Transporte

Greve dos motoristas provoca congestionamento recorde

Manifestantes fecharam quinze terminais; prefeito entregará dossiê sobre o caso para o Ministério Público 

Por: Redação Veja São Paulo - Atualizado em

Manifestação Motoristas de Ônibus
Ônibus parados na Avenida Professor Francisco Morato; motoristas cruzaram os braços (Foto: Mario Rodrigues)

Quinze terminais de ônibus fechados, estações de metrô superlotadas e muito trânsito. Este é o balanço da greve dos cobradores e motoristas que surpreendeu os paulistanos e, até mesmo, o sindicato da categoria e a prefeitura nesta terça-feira (20). Por causa da paralisação, o rodízio de veículos foi suspenso e, às 19 horas, a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) registrou 261 quilômetros congestionados, recorde de lentidão no ano.

+ Protesto de professores interdita vias da cidade

Em entrevista coletiva no início da noite desta terça-feira (20), o prefeito Fernando Haddad disse que os manifestantes não avisaram ninguém o ato. “Fomos surpreendidos.” Segundo Haddad, a prefeitura ainda tenta identificar os organizadores e as motivações, já que até o presidente do sindicato também não sabia da ação.

+ Policiais devem paralisar as atividades nesta quarta

Com isso, ninguém sabe se a paralisação continuará nesta quarta-feira (21). Jilmar Tatto, secretário de transporte, informou que a prefeitura prepara um dossiê para entregar ao Ministério Público para que o caso seja investigado.

Ação surpresa

Sem o conhecimento do sindicato da categoria, alguns motoristas e cobradores suspenderam as atividades desde a manhã desta terça-feira. Terminais foram bloqueados e muitos ônibus ficaram estacionados formando filas em vias da cidade, como na Avenida Professor Francisco Morato.

Metrô Greve
Passageiros encontraram dificuldade para entrar na Estação Pinheiros, na Linha Amarela, na noite desta terça-feira (20) (Foto: Silas Colombo)

Segundo a SPtrans, os manifestantes fecharam os terminais Amaral Gurgel, Bandeira, Barra Funda, Butantã, Casa Verde, Lapa, Mercado, Pinheiros, Pirituba, Princesa Isabel, Sacomã, Santana, Cachoeirinha, Dom Pedro e Varginha.

Apesar do metrô não registrar problemas nas estações, usuários encontraram movimento acima do normal no início da noite desta terça-feira. Muitos divulgaram fotos das plataformas cheias nas redes sociais. Na Estação Pinheiros, por exemplo, passageiros não conseguiam passar pelas catracas por volta das 18h30. Muitos desistiram e ficaram sentados na calçada aguardando a situação melhorar. 

Fonte: VEJA SÃO PAULO