Festas

Conceição Cipolatti é a rainha do natal nos shoppings de SP

Só este ano, Conceição é responsável por enfeitar dezoito shoppings paulistanos

Por: Juliana de Faria - Atualizado em

Assim que o dia 1º de dezembro aparecer na folhinha, a empresária Conceição Cipolatti começará a se preparar para o Natal. Até aí, nada que cause estranheza, não fosse um porém: ao contrário de todas as outras pessoas, ela estará com a celebração de 2008 em mente. Conceição é dona de um império de decorações natalinas de fazer inveja a Mamãe Noel. Sua lista de clientes traz, na maioria, diretores de shopping centers que buscam enfeites cada vez mais pomposos para festejar e, claro, lembrar aos consumidores que está na hora de comprar presentes. Atualmente, a empresária de 68 anos cuida de 120 centros comerciais no Brasil, Argentina, Chile, México e Uruguai. Só no estado de São Paulo são quarenta. Dezoito estão na capital, entre eles Morumbi, Anália Franco e Center Norte. "Neste ano, montamos 12.000 metros quadrados de cenário", conta ela.

Sua empresa, batizada com o sobrenome da família, possui dois galpões. Um deles fica em Jacareí, a 86 quilômetros de São Paulo, com 18.000 metros quadrados. Estão estocados no local materiais como 1 milhão de bolinhas coloridas. Mas é no de Taboão da Serra, de 8.000 metros quadrados, que o negócio ferve. Ali, o showroom funciona como uma "Casa Cor natalina". Os visitantes percorrem um corredor para observar ambientes montados com propostas de decoração. "Parece um conto de fadas", diz Glorinha Baumgart, diretora de marketing do Center Norte, que mantém a parceria com Conceição desde a inauguração do shopping, em 1984. O pontapé para as festas é dado no mês de fevereiro. "Algumas empresas entram em contato comigo só agora e, infelizmente, tenho de negar o trabalho", afirma. Além dos projetos expostos no showroom, a empresária oferece uma espécie de cardápio com 400 temas de adorno. "Há os infantis, os tradicionais, os mais fashion..." Segundo Conceição, está em alta o "Natal ecológico", com materiais reciclados e sucata. Seu projeto queridinho, no entanto, é o "Natal brasileiro", com enfeites de cipós, araras, cobras e onça-pintada.

Foi por acaso que Conceição Cipolatti descobriu que poderia viver de celebrar o Natal. Pianista apaixonada, aos 24 anos desistiu de estudar música na Alemanha para se casar com o arquiteto Paulo Luiz. Com tempo livre, passou a ajudar na decoração do bufê da irmã Tereza. A dupla foi contratada para armar a festa de aniversário de um shopping em Belo Horizonte. "O diretor de marketing ficou encantado com os arranjos que fiz para o salão e no mesmo dia me convidou para enfeitar o lugar em dezembro", conta. Com a ajuda da irmã, pintou 5.000 bolas de isopor a mão. Hoje, Conceição tem 250 funcionários fixos, número que cresce para 2.000 no meio do segundo semestre. São marceneiros, arquitetos, engenheiros, serralheiros, costureiras e até penduradores (que fazem treinamento com alpinistas). A operação também conta com a participação de seus quatro filhos, Luiz Paulo, Ana Cecília, Rita Gabriela e José Fernando. Em novembro, a rotina da família se altera por completo. Todos começam a trabalhar no meio da tarde, por causa da montagem dos cenários, que só pode ser feita quando os shoppings estão fechados. Ou seja, entre 23 e 9 horas.

Uma decoração criada pelos Cipolatti custa, em média, 300.000 reais. Neste ano, um de seus clientes chegou a desembolsar 1 milhão de reais. O investimento é alto, mas garante um retorno ainda maior. De acordo com a Associação Brasileira de Lojistas de Shopping (Alshop), assim que a neve artificial e as guirlandas são espalhadas pelos centros de compras o movimento aumenta 35%. "Gosto de pensar que, além de aquecer a economia, vendemos sonhos", afirma Conceição. "Fico feliz em ver as crianças com os olhinhos vidrados nos cenários."

Fonte: VEJA SÃO PAULO