CINEMA

CineSesc realiza retrospectiva anual de filmes nacionais

Serão exibidos 78 longas-metragens a R$ 4 a sessão

Por: Miguel Barbieri Jr.

undefined Foto 2
"Bruna Surfistinha" (à esq.), "Trabalhar Cansa" (à dir., acima) e "Rock Brasília - Era de Ouro": retrospectiva de filmes nacionais a preço popular (Foto: Divulgação/ Gabriel Chiarastelli)

Mais completa e eclética do que o Projeta Brasil, evento realizado pela rede Cinemark, a Retrospectiva do Cinema Brasileiro chega à 12ª edição no CineSesc a partir de sexta (2). Serão reprisados 31 documentários e 47 ficções exibidos de novembro de 2010 a outubro deste ano. A mostra estende-se até 29 de dezembro e o ingresso custa apenas 4 reais.

Entre sucessos de bilheteria e fitas elogiadas pelos especialistas, o período apresentou competentes diretores estreantes no longa-metragem. Marcus Baldini, vindo da publicidade, surpreendeu com seu despudorado “Bruna Surfistinha”, no qual Deborah Secco revelou-se uma ótima atriz dramática dando corpão e alma para viver a garota de programa Raquel Pacheco. “Trabalhar Cansa“ confirmou o talento dos curta-metragistas Marco Dutra e Juliana Rojas, afiados na macabra crônica paulistana de costumes. André Ristum, mesmo titubeante no roteiro de "Meu País", conseguiu extrair boas atuações de Rodrigo Santoro e Débora Falabella. De todos, quem brilhou atrás e à frente das câmeras mesmo foi Selton Mello com sua magnífica comédia dramática "O Palhaço", raro caso de êxito de público e crítica, já visto por mais de 1 milhão de brasileiros.

+ Veja os melhores filmes em cartaz; salas e horários

O humor deu as caras com força em baixarias, entre elas "De Pernas pro Ar" (3,5 milhões de espectadores e recordista do ano) e "Cilada.com" (3 milhões), e nos acertos "O Homem do Futuro", dirigido por Claudio Torres, e “Onde Está a Felicidade?”, deliciosa comédia do casal Bruna Lombardi e Carlos Alberto Riccelli. Na seara do cinema-verdade, o bacana "Lixo Extraordinário" estreou em janeiro ao ganhar uma indicação ao Oscar de melhor documentário. Só foi levemente ofuscado, nove meses depois, por "Rock Brasília — Era de Ouro", um registro próximo e comovente das bandas Legião Urbana, Plebe Rude e Capital Inicial. Também fizeram bonito os retratos musicais de Elza Soares em "Elza" e de Nana Caymmi em "Rio Sonata", além da trajetória política de Tancredo Neves em "Tancredo, a Travessia".

Clique aqui para ver a programação completa da retrospectiva.

Fonte: VEJA SÃO PAULO