Mostra

Festival de Cinema Latino-Americano: sétima edição traz 75 filmes

Produções inéditas exibidas em Cannes e Berlim estão entre as mais aguardadas

Por: Tiago Faria - Atualizado em

3 filme Pablo Stoll
A comédia uruguaia "3", de Pablo Stoll: elogios na Quinzena dos Realizadores, em Cannes (Foto: Divulgação)

A partir desta quinta (12) (para convidados) e sexta (para o público), quatro salas da cidade recebem novidades de países que, apesar de nossos vizinhos, ainda têm acesso restrito às telas brasileiras. A 7ª edição do Festival de Cinema Latino-Americano de São Paulo traz um ciclo de 75 filmes, com as criações recentes de cineastas como Rodrigo Moreno (“Um Mundo Misterioso”) e Claudia Llosa (o curta “Loxoro”), além dos brasileiros Tata Amaral (“Hoje”, vencedor do Festival de Brasília de 2011), Cesar Charlone (“Artigas – La Redota”) e Jorge Furtado (o curta “Até a Vista”). As exibições são gratuitas.

+ Os melhores filmes em cartaz; salas e horários

+ Entrevista com Alejandro Brugués, diretor de 'Juan dos Mortos'

Com uma seleção recheada de produções inéditas no Brasil, a mostra inclui títulos selecionados para festivais como Berlim, Cannes e Toronto. A comédia “3”, do uruguaio Pablo Stoll, está entre as atrações mais aguardadas. Na fita, que estreou na mostra Quinzena dos Realizadores, de Cannes, o diretor de “Whisky” (2004) retrata as relações entre três personagens que, apesar das diferenças, vão tentar formar uma família.

Em um tom mais anárquico, o cubano “Juan dos Mortos”, de Alejandro Brugués, conquistou status de cult nos festivais de Chicago e do Rio, onde foi exibido em 2011. O primeiro longa-metragem de zumbi produzido na ilha combina horror e comédia para compor uma sátira ácida sobre a realidade do país. Elogiado em Berlim, o road movie “Um Mundo Secreto”, de Gabriel Mariño, acompanha a viagem atribulada de uma jovem por estradas mexicanas.

Mais de 30 convidados internacionais vão participar do evento, em cartaz até o próximo dia 19 no Memorial da América Latina, no CineSesc, na Cinemateca e no Cinusp Paulo Emílio.

Fonte: VEJA SÃO PAULO