Violência

Chacina em Guarulhos nesta madrugada deixa quatro mortos

Crime ocorreu em um bar localizado na Vila Galvão; uma quinta vítima permanece internada em estado grave

Por: Barbara Öberg - Atualizado em

Bar do Bebeto Chacina
Bar na Rua Domingos de Abreu, no bairro da Vila Galvão: quatro mortos e um ferido em estado grave (Foto: Edison Temoteo/Futura Press/Folhapress)

Quatro pessoas foram mortas e uma ficou gravemente ferida após um ataque a tiros em um bar na Vila Galvão, em Guarulhos, na madrugada deste sábado (2). Segundo a Polícia Militar, os disparos, que atingiram um grupo de pessoas na Rua Domingos de Abreu, partiram de um carro por volta da 0h30.

No início desta manhã, o hospital divulgou o nome das quatro vítimas fatais: Franciso Fernando Pereira Caetano, Hermes Augusto Inácio Moreira, Adriano José Silva Araújo e Leonardo José de Souza. Elas chegaram a ser socorridas, mas não resistiram. O nome da quinta vítima, que segue internada em estado grave no Hospital Geral de Guarulhos, é mantido em sigilo pela polícia. 

+ PM reage a tentativa de assalto e mata criminoso

A ocorrência foi registrada no 2º Distrito Policial de Guarulhos e nenhum suspeito pelo crime foi identificado até o momento. Segundo moradores do local, um carro com três homens parou e dois deles desceram armados atirando. A polícia pretende utilizar imagens de câmeras de segurança próximas ao local do crime para identificar os criminosos.

De acordo com o delegado que comanda a investigação, a vítima baleada é peça-chave para entender o caso. Ele também pretende investigar o passado das vítimas (quatro delas possuem registros criminais por tráfico de drogas e/ou crimes contra o patrimônio) e não descarta relação desta chacina com a morte de um policial militar três dias antes, ocorrida em uma loja de auto-peças a três quilômetros do bar. O policial trabalhava no 5º Batalhão da Polícia Militar, na Vila Gustavo, na zona Norte de São Paulo.

+ Motorista alcoolizado dirige na contramão e causa morte na Dutra

+ Universitário morre baleado após tentativa de assalto

 

 

Fonte: VEJA SÃO PAULO