Opinião do Leitor

Cartas da edição 2465

Por: Veja São Paulo

Capa helicoptero 2465
(Foto: Veja São Paulo)

› Negócios

Como mostrou a reportagem “Guerra de helicópteros” (17 de fevereiro), a concorrência faz com que os monopolistas fiquem irritados mesmo. A autorregulação de preços ocorre com competição. Os antigos terão de pensar em melhorar seus serviços e rever os valores cobrados para não continuar perdendo clientes. Marcio Mikio Nakamura

Bem-vindos à nova economia. Vence a disputa quem administra muito bem os custos fixos e sabe dar a devida atenção aos clientes. Cesar Parizotto, dono da HBR, foi muito inteligente: investiu, inovou e domina o mercado oferecendo mais por menos. Concorrentes, trabalhem mais, melhorem a gestão e surpreendam seus clientes. Claudio Henrique

Nem sei o que dizer de pessoas que mandam alguém de helicóptero buscar pudim ou um pneu de bicicleta, como revelou a reportagem “Guerra de helicópteros”. Essa gente tem de inventar coisas para gastar dinheiro. Mário Lucas de Sá

› Crônica

Morador de Perdizes (Zona Oeste), tenho a sensação de que muitas vezes caminho pelos mesmos lugares que o colunista Ivan Angelo. A grande diferença, no entanto, é que ele, com incrível sensibilidade, transforma em crônicas magníficas aquilo que observamos no dia a dia. Exemplo disso foi seu último texto, “Um pouco de gentileza” (17 de fevereiro). Parabéns por escrever linhas que tornam nossa vida melhor. Fernando Luiz Vaz dos Santos

Caríssimo conterrâneo Ivan Angelo, lendo sua última crônica, que é sempre a primeira coisa que vejo ao receber minha revista, pensei em lhe enviar um aviso que vi na parede de um bar. Estava escrito ali: “Se você é dos que bebem para esquecer, pague antes de beber”. Marilda Bernardino

› Esporte

É curioso saber que alguns clubes paulistanos estão se adaptando para receber delegações de países que disputarão a Olimpíada no Rio de Janeiro (“Hóspedes de ouro”, 17 de fevereiro). Isso ilustra muito bem como a cidade, apesar de não ser a sede dos Jogos, tem infraestrutura para receber campeões. Torço para que, além das equipes de China, Japão, Grã-Bretanha e Israel, outras venham passar uma temporada aqui. Clovis Nicola de Barros

› Educação

O tempo escasso, o trânsito complicado e a crise econômica dificultam a vida de quem quer fazer cursos em nossa cidade. A saída ideal são as plataformas on-line, como ilustrou a reportagem “A Netflix dos estudos” (17 de fevereiro). Que venham mais opções! Amanda Nascimento

Fonte: VEJA SÃO PAULO