OPINIÃO DO LEITOR

Cartas da edição 2463

Por: Veja São Paulo

› Perfil

Admiro o profissional que consegue chegar aonde Marco Antônio de Biaggi chegou. Admiro mais ainda a coragem de lutar contra a doença e tornar a sua história pública (“A vida depois de 139 dias de internação”, 3 de fevereiro). Desejo uma breve recuperação a ele! Só quem já teve câncer ou experimentou a angústia de um diagnóstico “batendo na trave” é que sabe o tamanho da batalha que terá adiante, as dúvidas, a insegurança... No caso do cabeleireiro retratado pela revista, o pior já passou! Agora, cada dia é uma grande vitória. Conte com os meus aplausos, Marco Antônio, não por ser uma “celebridade”, mas por ser um grande guerreiro.

Silvia Garrote

Desejo melhoras, força, foco e fé ao personagem retratado na capa da última edição. Você sairá dessa, Marco Antônio! Nessas horas é que vemos os verdadeiros amigos. Um profissional como ele anda sempre rodeado de uma série de belezas e celebridades. Espero que não o esqueçam neste momento tão intenso e reveladorde sua vida.

Regina Luz

Quando vi a última ediçãoda Vejinha, tive dois sentimentos. Primeiro, tristeza por ver o período difícil que Biaggi enfrentou. Depois, experimentei imensa alegria por ver que está se recuperando. Além de possuir os dotes profissionais reconhecidos por todos no mercado da beleza, ele é um ser humano de alto quilate. Nas vezes em que estive em seu espaço, sempre tratou todos os clientes(importantes ou não) com respeito e imparcialidade, dedicando a mesma atenção e carinho. Torço para sua rápida recuperação!

Angela Maria Giudice de Oliveira

Parabéns pela linda reportagem. Texto emocionante e uma lição de amor à vida. Não o conhecia, mas o cabeleireiro ganhou uma admiradora. Quando me submeti a quimioterapia, fui mais esperta do que ele: raspei os cabelos antes da primeira dose. Não senti cair meus cabelos! Deus o abençoe e lhe dê muita saúde.

Neli Aparecida de Faria

Ninguém soube o que estava acontecendo com a estrela dos salões da cidade até vê-lo muito magro nas fotos publicadas nas redes sociais. Marco Antônio fez bem. Nessas horas, precisamos mais de nossa família e de menos exposição. Fiquei feliz por sua recuperação.

Val Dias

Às vezes, a vida nos dá um chacoalhão para valorizarmos as pequenas coisas. Parabéns ao Marco Antônio pela recuperação!

Maria Helena Fernandes

Não sabia que Marco Antônio de Biaggi estava doente. Lendo a reportagem de VEJA SÃO PAULO, parecia que eu estava revivendo a história da minha mãe. Ela passou por todos esses dramas e mais um pouco. Infelizmente, não está mais entre nós.

Miki Takigami

› Mistérios da Cidade

Fiquei surpresa com a proibição da Eletropaulo e da subprefeitura de Pinheiros aos arranjos em seus postes (“Guerra às orquídeas”, 3 de fevereiro). Os problemas que as plantas poderiam causar são muito menores que os do excesso de fios de telefonia.

Regina Moretti Ferrari

› Ivan Angelo

O texto “Nós e os bichos” (3 de fevereiro) é maravilhoso. O cronista mostrou como os homens destroem espetáculos da natureza. Quando aniquilaram o pombo-passageiro na América do Norte, fecharam para sempre às gerações futuras as cortinas do belíssimo espetáculo de sua migração!

Reginaldo Martins

Nasci em Londrina. Quando era pequeno, assistia ao “tiro ao pombo”, tido como esporte na época. Hoje, continuam querendo exterminar essas aves, pois causam doenças e destroem as lavouras. Como médico que sou e menino que fui um dia, testemunho que é uma beleza vê-las aninhar-se, aos bandos, todo fim de dia.

Luiz Alexandre Estrella

 

 

Fonte: VEJA SÃO PAULO