Atentados em Paris

Brasileiros feridos em ataques na França passam bem

Familiares do arquiteto Gabriel Sepe, que mora em São Paulo, e da psicóloga Camila Issa estão a caminho de Paris

Por: Veja São Paulo - Atualizado em

Ataque Paris
Ataques em Paris ocorreram na noite de sexta (13) (Foto: Folhapress)

Os dois brasileiros feridos nos ataques de sexta-feira (13) em Paris passam bem e não correm risco de morrer. A informação é da embaixadora do Brasil em Paris, Maria Edileuza Fontenele Reis, em entrevista ao jornal O Estado de S.Paulo. Um deles é o arquiteto Gabriel Sepe, de 29 anos, que mora em São Paulo (SP) e embarcou para a França no último domingo (8). 

Gabriel Pece
Gabriel Sepe: arquito de São paulo foi ferido nos ataques de Paris (Foto: Reprodução/Facebook)

Ele estava jantando no restaurante Le Petit Camboge, nas proximidades do canal Saint-Martin, em Paris, quanto foi atingido pelos tiros. Os pais do arquiteto embarcaram nesta noite de sábado (14) para Paris. A outra vítima, amiga de Gabriel e que estava na mesma mesa que ele no momento do ataque, é a psicóloga Camila Issa, de 29 anos, que faz mestrado na cidade. Ambos seguem internados.

+ Relógios da Avenida Paulista pedem orações às vítimas de Paris

Ao todo, os ataques quase que simultaneos causaram a morte de 129 pessoas. Mais de 350 foram feridos e, segundo as autoridades de Paris, muitos seguem internados em estado grave. As vítimas foram levadas, principalmente, para os hospitais Saint-Louis, Pitié-Salpêtrière, Européen Georges Pompidou, Henri Mondor, Lariboisière, Saint-Antoine e Beaujon. As informações foram confirmadas pela agência de notícias France Press e por jornais franceses.

+ Consulado da França convida para vigília em São Paulo neste domingo (15).

+ Fique por dentro do que acontece na cidade

 

Com Estadão Conteúdo

Fonte: VEJA SÃO PAULO