INTERNACIONAL

Blogueira australiana confessa que forjou câncer no cérebro

Belle Gibson, do The Whole Pantry, revelou farsa em entrevista à revista da Austrália

Por: Veja São Paulo

Belle Gibson
Belle Gibson: sucesso ao relatar sua lutar contra o câncer (Foto: Reprodução)

Uma blogueira australiana, que ganhou milhares de seguidores ao relatar sua batalha contra um câncer terminal, revelou que sua doença se tratava de uma farsa.

Belle Gibson usava uma página na internet para relatar seu dia a dia de combate a um tumor no cérebro. No The Whole Pantry, ela contava, desde 2013, como usava terapias alternativas e alimentos saudáveis no tratamento da enfermidade.

Além do blog, Gibson também lançou um aplicativo para smartphones e tablets e um livro de receitas saudáveis. Nas redes sociais, conseguiu inúmeros seguidores ao dar dicas de bem-estar.

"Tenho a sensação do dever cumprido", diz mãe de quíntuplos

Em entrevista à revista Australia’s Women’s Weekly, Gibson admitiu que forjou a doença. "Não quero perdão", disse ela. "Gostaria que as pessoas dissessem: 'bem, ela é humana'."

As dúvidas sobre sua doença começaram a surgir quando foi divulgado que ela não havia doado 300 000 dólares (900 000 reais) a entidades de combate ao câncer, como havia prometido. Movimentos começaram a pedir que ela mostrasse documentos que comprovassem o câncer, o que ela se negou a fazer.

Belle Gibson
A blogueira Belle Gibson: farsa revelada (Foto: Reprodução)

Uma psicóloga ouvida pela publicação australiana afirmou que “pessoas saudáveis e equilibradas não têm de inventar enfermidades para chamar a atenção ou obter benefícios financeiros”.

A hipótese é que ela sofra de algum problema que os psicólogos chamam de “desordem fictícia”, na qual as pessoas agem como se estivessem um problema físico ou mental e exageram nos sintomas.

“Para uma pessoa comum, o que ela fez pode parecer uma fraude, mas, em muitos casos, há condições psicológicas subjacentes, como o transtorno de personalidade ou elementos de narcisismo”, afirmou a psicóloga Melissa Keogh à pública australiana. 

Fonte: VEJA SÃO PAULO