Turismo

Empresas baixam preços de passagens aéreas internacionais e cruzeiros

Para driblar o dólar alto, companhias oferecem descontos e promoções

Por: Mônica Santos

Miami
Miami: passagens de ida e volta a partir de 300 dólares, mais as taxas (Foto: Walter Bibikow/Getty Imagens)

No início do segundo semestre de 2015, enquanto o real se desvalorizava ante o dólar a passos largos e o valor das passagens aéreas disparava, muita gente anunciou que suspenderia ou repensaria aquele projeto de férias no exterior. Mas isso durou só até o preço dos bilhetes internacionais começar a despencar — em alguns casos, acredite, eles estão mais baratos do que em 2014, mesmo com a cotação da moeda americana perto dos 4 reais.

“Temos visto, nos últimos meses, promoções de voo para Miami por 300 dólares mais as taxas”, diz Jarbas Correa Junior, vice-presidente comercial da Agaxtur. “No ano passado, era difícil encontrar passagem por menos de 700 dólares.”

+ Cinco estratégias para fazer a viagem caber no orçamento

A maior parte das promoções anunciadas pelas companhias aéreas tem como destino os Estados Unidos, mas há outras possibilidades. “O Chile é uma ótima opção. Para fevereiro de 2016, há passagens para a capital, Santiago, por 126 dólares”, diz Emerson Belan, diretor nacional de vendas da CVC. Nas últimas semanas, a rota de preços mais acessíveis estendia-se também a destinos como Punta del Este, no Uruguai (195 dólares), e cidades europeias, entre elas Paris e Barcelona (450 dólares cada uma).

Todos os valores eram para ida e volta, sem taxas inclusas. É importante considerar que são promoções de ocasião, que surgem e somem de uma hora para outra. Como avião que decola vazio não interessa a ninguém, as companhias liquidam um porcentual de assentos até a quantidade suficiente para cobrir os seus custos. Depois disso, os valores voltam a subir.

Navio Lírica MSC Cruzeiros
Navio Lírica, da MSC Cruzeiros: promoção de dólar congelado e parcelamento em até dez vezes (Foto: Divulgação)

Estratégia semelhante foi adotada pelas quatro empresas de cruzeiros marítimos que operam na costa brasileira. Juntos, os dez navios da MSC Cruzeiros, Royal Caribbean, Pullmantur e Costa Cruzeiros disponibilizam maisde 57 000 leitos ao longo da temporada, que vai deste mês até abril de 2016. A maior parte das viagens ocorre entre portos brasileiros, com duração de três a cinco noites. 

Na Royal Caribbean, por exemplo, um pacote de três noites (Santos-Búzios-Santos) custa a partirde 858 reais por pessoa em cabine interna dupla, já com taxas incluídas. No ano passado, um roteiro similar era vendido por 1 099 reais. Na mesma empresa, uma jornada de sete noites saindo de Santos, no mês de janeiro, com paradas em Punta del Este, Buenos Aires e Montevidéu, sai por 2 513 reais. Quem comprou o mesmo pacote em setembro fez negócio ainda melhor: pagou1 499 reais.

Punta del Este
Punta del Este, no Uruguai: ponto de parada de um cruzeiro de sete noites (Foto: Divulgação)

“A volatilidade do dólar deixou o turista apreensivo, e ele demoroua se decidir”, conta Marco Ferraz, presidente da Associação Brasileira de Cruzeiros Marítimos. “Com isso,as companhias intensificaram suas promoções para não perder clientes.” O congelamento do câmbio do dólar em valores abaixo dos 3 reais, parcelamento em reais em até dez ou doze vezes e viagem grátis para terceiro e quarto passageiros na mesma cabine fazem parte da relação de promoções vigentes nas operadoras em novembro.

+ Turismo radical: quatro destinos para quem gosta de aventuras

Serviço: Agaxtur (tel. 3067-0900, www.agaxturviagens.com.br), CVC (tel. 3003-9282, www.cvc.com.br), Costa Cruzeiros (tel. 2123-3677, www.costacruzeiros.com), MSC Cruzeiros (tel. 4003-1058, www.msccruzeiros.com.br), Pullmantur (tel. 3181-5700, www.pullmantur.com.br), Royal Caribbean (tel. 0800-892-0206, www.royalcaribbean.com.br).

Fonte: VEJA SÃO PAULO