FUTEBOL

Após acidente, SPFC troca guarda-corpo do Morumbi

Queda de grade protetora do estádio feriu dezesseis pessoas no dia 11 de maio

Por: Estadão Conteúdo - Atualizado em

2171_morumbi_torcerdores
(Foto: Divulgação)

O São Paulo trocou o guarda-corpo e instalou um reforço para aumentar a resistência da grade do setor térreo do Morumbi para conseguir liberar a área a tempo da semifinal da Copa Libertadores, contra o Atlético Nacional, no dia 6 de julho. A Polícia Militar (PM) deve fazer na próxima semana uma nova vistoria no local para analisar as condições de segurança depois de a estrutura anterior ter cedido no dia 11 de maio e causado a queda de torcedores no fosso do estádio.

+ Fique por dentro das últimas notícias

Segundo o clube, tanto a área do acidente como todo o pavimento teve a proteção refeita sob supervisão da empresa de engenharia Falcão Bauer e foi aprovada pelos técnicos. Os operários colocaram uma nova haste removível e chumbada no concreto para dar mais firmeza ao guarda-corpo. O São Paulo decidiu aplicar o reforço em todo o setor térreo, que está interditado pela PM desde o dia 13.

A parte da estrutura que já foi instalada passou por testes de resistência, que apontaram "resultados satisfatórios", segundo o laudo dos técnicos. A diretoria estuda a possibilidade de colocar fiscais e seguranças no pavimento térreo para evitar a aglomeração de torcedores na proximidade do guarda-corpo. 

O material cedeu durante a comemoração do gol de Michel Bastos, o da vitória por 1 a 0 sobre o Atlético-MG, pelas quartas de final da Libertadores, e alguns torcedores caíram cerca de dois metros até o fosso. De acordo com o São Paulo, 16 pessoas ficaram feridas na queda e todas tiveram as despesas médicas pagas pelo clube.

Desde o incidente, o clube mandou as partidas no Morumbi sem a presença de público na área externa do setor térreo. No pavimento estão liberados apenas os camarotes. Com o reforço do guarda-corpo, o São Paulo espera que conseguirá o aval da PM para voltar a receber a carga máxima do estádio para o confronto contra a equipe colombiana.

Fonte: VEJA SÃO PAULO