Crime

Aluna que sumiu em excursão da escola foi asfixiada, diz 'Fantástico'

Victoria Natalini, de 17 anos, foi encontrada morta em setembro do ano passado

Por: Veja São Paulo - Atualizado em

Victoria Natalini
Victoria tinha 17 anos (Foto: Reprodução TV Globo)

Divulgado pelo Fantástico neste domingo (10), um novo laudo da perícia mudou as investigações de um caso ocorrido em setembro do ano passado. A estudante Victoria Natalini, de 17 anos, foi encontrada morta após sumir durante um trabalho do colégio na Fazenda Pereiras, em Itatiba.

+ Pastor acusado de abuso sexual deixa a cadeia

Aluna da escola Waldorf Rudolf Steiner, no Alto da Boa Vista, na Zona Sul, a adolescente fazia parte de um grupo de vinte estudantes que tinham ido em excursão de uma semana à fazenda para fazer um trabalho de topografia. No dia 16, ela se afastou dos colegas para ir ao banheiro e não foi mais vista. 

Waldorf
Local onde o corpo foi encontrado (Foto: Reprodução TV Globo)

Bombeiros e policiais do Grupo de Operações Especiais (GOE) usaram um helicóptero para vasculhar a área, mas as buscas foram suspensas durante a noite. A garota foi encontrada na manhã seguinte em uma clareira, a mais de 1 quilômetro do sítio. De acordo com o programa da Globo, não tinha marcas de violência, nem de abuso sexual e não havia ingerido bebidas alcóolicas ou drogas. Estava de bruços, com os braços entrelaçados.

Victoria Natalini
Ela era aluna do colégio Waldorf Rudolf Steiner (Foto: Reprodução Facebook)

Até então, a morte era classificada como suspeita. Os novos documentos mostram que ela foi asfixiada, na modalidade "sufocação direta", ou seja, quando se tapa o nariz e a boca da vítima. Ainda não há suspeitos do crime. A escola disse que nas viagens disponibiliza profissionais capacitados para atender as necessidades dos alunos e vai empenhar todos os esforços para apoiar os órgãos competentes.

Escola Waldorf Rudolf Steiner
A escola Waldorf Rudolf Steiner (Foto: Reprodução/ Google Maps)

Fonte: VEJA SÃO PAULO