Máquinas

Na rota do test-drive

Brasileiros esquentam o mercado de aluguel de carros de luxo no exterior

Por: Denise Bobadilha - Atualizado em

  • Voltar ao início

    Compartilhe essa matéria:

  • Todas as imagens da galeria:

Funciona mais ou menos assim: uma montadora — a alemã Porsche, digamos — coloca na vitrine um novo Carrera ou Boxster. No Brasil, começa o burburinho entre um grupo seleto de aficionados de carros. O primeiro a pisar no acelerador do lançamento conta a experiência aos camaradas e atiça ainda mais a curiosidade dos demais. Mas que ninguém espere ouvir esse Carrera zero-quilômetro rugindo pelos Jardins, na Barra ou em plena Savassi. O vrummvrumm reverbera a milhares de quilômetros do Brasil. De preferência, nas autoestradas da Alemanha, onde o limite de velocidade é determinado apenas pela potência dos motores, ou nas estradas da Provença ou da Toscana, de curvas desafiadoras. É no exterior que o mercado de aluguel de carros produzidos pelas fábricas dos sonhos de pilotos amadores vem crescendo — e os brasileiros ajudam a fazer essa roda girar.

“Não são máquinas para o asfalto brasileiro”, diz o empresário paulistano André Soares, 44 anos. Ele viaja algumas vezes por ano para testar modelos inéditos. Chega a trocar de automóvel diariamente: de uma Ferrari 458 para um Mercedes SLS e depois para um Aston Martin DBS. Esse último, aliás, foi submetido ao crivo duas vezes. “Eu havia acabado de ver Daniel Craig, na pele de James Bond, dirigi-lo em Quantum of Solace e quis colocá-lo à prova em meio aos campos verdes do interior da Inglaterra”, conta. O segundo giro foi no sul da França, um roteiro bem explorado pelos fãs de carrões.O cardápio de caminhos ali é variado — vicinais, entre os vilarejos; estradas com estrutura, entre as cidades; e as grandes rodovias, para cortar trechos maiores. Nas duas primeiras alternativas, a presença de castelos e vinhedos é garantida, como na região de Haute-Provence ou nos Alpes-Maritimes. Como a locação vip faz o carro chegar até o cliente, dá para correr nas mesmas estradas com modelos diferentes.

As oportunidades para dirigir sempre aparecem, segundo Soares. “Na viagem que fiz no ano passado para a Rússia e a Itália, dei um jeito de encaixar uma escala em Munique para poder pilotar o Lamborghini Aventador”, diz ele. A Alemanha é o destino mais procurado para o primeiro aluguel. A maioria das estradas do país permite velocidade livre na pista da esquerda — e o motorista aproveita para fazer os ponteiros do acelerador chegar quase ao limite. Quando há muito que ver no caminho, tanto melhor. Na chamada “rota romântica”, entre Würzburg e Füssen, ficam três cidades medievais muradas e um dos castelos mais famosos do mundo, o Neuschwanstein. A Estrada Alpina, perto da fronteira da Áustria, serpenteia montanhas por 450 quilômetros.

Em viagens como essa, é possível curtir roteiros diferentes — um com o carrão, outro com a família. “Quem tem paixão por automóvel costuma alugar mais de um modelo no exterior, primeiro pela curiosidade de provar diversas máquinas, segundo por uma questão prática, já que os esportivos não acomodam todas as malas dos passageiros”, explica Gabriela Figueiredo, consultora da Matueté, agência especializada em viagens exclusivas. O mais usual, de acordo com Gabriela, é escolher um utilitário do tipo SUV para o trajeto do aeroporto até a primeira parada e pegar o carro desejado em seguida.

Tanto a Matueté como a Teresa Perez, outra operadora de turismo paulistana, recorrem no exterior às empresas Elite Rent-a-Car e Red Travel, essa última voltada aos fãs da Ferrari. No Brasil, a agência com foco principal na locação de carros classudos é a Mobility, que providencia não apenas modelos esportivos recém-lançados mas também motos, motorhomes e SUVs nas versões mais sofisticadas. O empresário paulistano Oskar Kedor percebeu que aqui haviaum nicho inexplorado — justamente esse dos aficionados de carros — e abriu a agência de locação há doze anos. Seu primeiro cliente foi um grande empresário brasileiro, que queria alugar modelos específicos, pegando o carro no Porto e devolvendo em Lisboa, em Portugal. As locadoras tradicionais não eram flexíveis a esse tipo de arranjo. Nem sequer ofereciam os veículos nas condições em que o cliente desejava. Hoje, quem quiser pode sair com o carro do hotel, no horário que escolher, trocar de automóvel ou recorrer a um motorista. “Mais gente vem percebendo a vantagem de contar com esse prazer numa viagem”, diz Kedor. Entre os modelos preferidosdos brasileiros estão o Range Rover, da Land Rover, o Cayenne Turbo, da Porsche, e o X5, da BMW, todos grandões. Além, é claro, da última novidade no mundo dos esportivos de luxo.

Fonte: VEJA SÃO PAULO