Noite

A.F.A.I.R.: luz, som e muito luxo

Casa ocupa o espaço onde antes era a Pink Elephant

Por: Carolina Giovanelli - Atualizado em

A.F.A.I.R
A.F.A.I.R: só em iluminação e som foram investidos R$ 850.000,00 (Foto: Raul Zito)

Depois de uma leva de casas de luxo importadas desembarcar na cidade, como a Mokaï e a Kiss & Fly, a A.F.A.I.R. (ou As Far As I Remember, em português algo como “que eu me lembre...”) representa uma marca nacional. No mesmo espaço antes ocupado pela Pink Elephant e com sócios em comum, a balada pretende ser a mais refinada do pedaço.

+ A.F.A.I.R. é o novo point classe A

+ Nascimento e morte de uma balada

+ Xaveco Virtual: nossa ferramenta para paquerar no Twitter

Playboys e patricinhas sacodem ao som de house, selecionado pelo DJ residente Marco Hanna. Eles se espalham pelos dezenove camarotes (R$ 2.000,00 a R$ 3.500,00, para três casais) e pela pista, enfeitada por um lustre com feixes de LED coloridos. Só em iluminação e som foram investidos R$ 850.000,00. O ponto alto da noite fica por conta dos champanhes (Veuve Clicquot, R$ 1.300,00 a garrafa de 1,5 litro no camarote; R$ 3.350,00 a garrafa de 3 litros na pista) que descem do teto através de elevadores ou pelas mãos de uma garçonete sentada em uma balança.

Fonte: VEJA SÃO PAULO