Moda

A estilista Lolita Hannud e seus vestidos de tricô conquistam famosas

Confira os modelos que algmas estrelas adotaram

Por: Fernanda Nascimento - Atualizado em

Lolita Hannud_2157
Precoce: hoje com 22 anos, Lolita lançou a primeira coleção aos 13 (Foto: Mario Rodrigues)

A paulistana Lolita Hannud tinha apenas 13 anos quando debutou no mundo da moda. Aproveitou as máquinas da confecção da mãe, a empresária Rosana Zurita, para tirar do papel modelitos que vivia desenhando nos cadernos escolares. Assim nasceu sua primeira coleção, cujo catálogo foi estrelado por colegas de classe. O que parecia brincadeira de criança deu certo. Quase uma década depois, 95% das peças produzidas na fábrica da família, na Granja Viana, levam a etiqueta de sua marca, a Lollita, criada em 2008 — entre a estreia na adolescência e a fase atual, ela estudou moda nos Estados Unidos e concluiu o curso de administração de empresas aqui. “A numeróloga sugeriu acrescentar um ele para dar prosperidade”, afirma.

Superstições à parte, a razão principal de seu sucesso deve-se à clientela recheada de famosas frequentemente classificadas como bem vestidas. Mesmo quem nunca ouviu o nome talvez já tenha visto alguma de suas peças em programas de televisão ou revistas de celebridades, no corpinho de gente como a empresária Heleninha Bordon, a atriz Flávia Alessandra e a modelo Izabel Goulart. A apresentadora Angélica apareceu com uma roupa da grife no aniversário do filho Joaquim, no ano passado. “Nem acreditei quando vi”, conta a estilista, hoje com 22 anos. Outro diferencial da marca vem dos tempos da vovó: o tricô, presente em todas as suas criações, quase sempre com cores chamativas. “Apesar de antigo, pode ser moderno e elegante.” 

Divulgação
Montagem moda_2157
A atriz Flávia Alessandra, a empresária Helena Bordon e a modelo Izabel Goulart: justíssimos e curtos (Foto: Divulgação)
A atriz Flávia Alessandra, a empresária Helena Bordon e a modelo Izabel Goulart: justíssimos e curtos

A julgar pelos números relativos à sua empresa, a moça está coberta de razão. São quarenta pontos de venda em dezenove estados brasileiros e dez países. Algumas de suas peças, diz ela, têm lista de espera com 100 interessadas. Por coleção, são sessenta modelitos de saias, vestidos, coletes e túnicas, cujo preço final vai de 200 a 1 900 reais. Para diminuir o risco de que as clientes se cruzem com looks iguais, Lolita segue a cartilha das butiques bacanas: fabrica entre cinco e cinquenta unidades de cada criação sua. No mês que vem, pretende abrir as portas da própria loja, nos Jardins. “Mas ainda não quero contar o local exato, pois estou negociando”, diz. O próximo passo pode ser um voo internacional — a atriz americana Blake Lively, do seriado Gossip Girl, e a milionária Paris Hilton já teriam encomendado roupas da grife.

 

Fonte: VEJA SÃO PAULO