Aos 75 anos, morre o ator Nelson Xavier

No cinema, ele esteve em mais de cinquenta filmes e, em 2010, interpretou o médium Chico Xavier

Morreu na noite desta terça-feira (9), em Uberlândia, em Minas Gerais, o ator paulista Nelson Xavier. Ele lutava contra o câncer. A informação foi dada por sua filha Tereza Villela Xavier em uma publicação no Facebook na manhã desta quarta-feira (10).

“Lamento informar a quem possa interessar que meu pai, Nelson Xavier, faleceu esta noite em Uberlândia. Seu corpo será transferido, celebrado e cremado no Rio de Janeiro em cemitério ainda não determinado. Agradeço desde já as mensagens de apoio. Ele virou um planeta! Estrela ela já era. Fez tudo o que quis, do jeito que quis e da sua melhor maneira possível, sempre”.

O ator nasceu em São Paulo no dia 30 de agosto de 1941. Ele chegou a cursar Direito, mas mudou de profissão e ingressou na Escola de Arte Dramática da Universidade de São Paulo e também para o Teatro de Arena.

Ao longo de mais de cinco décadas de carreira, Xavier esteve no teatro, no cinema e na televisão. No teatro, atuou em peças como Eles Não Usam Black-Tie (1958), de Gianfrancesco Guarnieri, Chapetuba Futebol Clube (1959), de Oduvaldo Vianna Filho, Gente como a Gente (1959), de Roberto Freire, e Julgamento em Novo Sol (1962), de Augusto Boal. Um dos grandes sucessos de sua carreira foi a montagem Navalha na Carne (1967), de Plínio Marcos, dividindo a cena com Tônia Carrero e Emiliano Queiroz.

Na Globo, integrou o elenco em diversas novelas, entre as quais Suave Veneno (1989), Senhora do Destino (2004), América (2005), Belíssima (2005), A Favorita (2008), Gabriela (2012), Joia Rara (2013) e Babilônia (2015). Também protagonizou, ao lado da atriz Tânia Alves, a minissérie Lampião e Maria Bonita, que foi um sucesso nos anos 80. Na versão televisiva do livro Tenda dos Milagres, de Jorge Amado, em 1985, Xavier viveu o personagem principal, Pedro Arcanjo.

Em Chico Xavier, sob a direção de Daniel Filho (Divulgação/Veja SP)

Em 2010, sob a direção de Daniel Filho, o ator interpretou Chico Xavier no cinemas. Ainda na telona, entre mais de cinquenta filmes, se destacam O ABC do Amor (1967), Os Deuses e os Mortos (1970), É Simonal (1970), Dona Flor e seus Dois Maridos (1976), e A Queda (1978), de Ruy Guerra, que venceu o Urso de Prata no Festival de Berlim. Um de seus recentes trabalhos foi o longa A Despedida (2014), em que contracenou com a atriz Juliana Paes. O último filme concluído por Xavier tem previsão de estreia no próximo dia 25. Em Comeback, Um Matador Nunca se Aposenta, o ator, que foi premiado no Festival do Rio de 2016, interpreta um pistoleiro que caiu no ostracismo e faz de tudo para voltar à ativa.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s