Guia do café: quinze endereços com as melhores xícaras de São Paulo

Onde encontrar bons grãos em diversas regiões da cidade

Um guia especial elaborado pelos críticos da Vejinha com quinze ótimos endereços na metrópole para saborear em uma xícara de primeira a bebida que é uma paixão paulistana.

beluga026

beluga026

Beluga

Entre os bons grãos do lugar estão o catuaí-amarelo, produzido em Cristina (MG), ou com notas de cassis, produzido no Sítio Boa Vista em Barra do Choça (BA). Cai bem quando coado na Hario V60 (R$ 6,00).

Café Torra Clara

Há desde o tradicional expresso (R$ 5,50) até o tirado no sifão (R$ 35,00 por 500 mililitros), com processo mais longo de extração a vácuo. É possível preparar o café também no coador Hario (R$ 7,50 ou R$ 9,50), na french press (R$9,50 ou R$ 11,50), na aeropress (R$ 12,50 ou R$ 14,50) e na chemex (R$ 14,50 ou R$ 18,50).

Cafezal Cafés Especiais

Serve um ótimo expresso por R$ 5,00. Para esse método de extração, há grãos paulistas (Fazenda Pessegueiro) e mineiros (Chapadão de Ferro e Fazenda Mantissa).

Caffè Vergnano

É uma das mais antigas marcas de café da Itália, nascida em 1882. Seus grãos de torra intensa resultam em expressos encorpados, com amargor na medida. Prove o 1882 (R$ 5,00) ou o ricco (R$ 5,50) e tente não repetir.

Comer e Beber 2013 - café - Coffee Lab

Comer e Beber 2013 – café – Coffee Lab

Coffee Lab

Isabela Raposeiras está à frente do lugar que levou o prêmio de melhor café em cinco edições de VEJA COMER & BEBER. Com um microlote das variedades catuaí-vermelho e catuaí-amarelo, vindo do Sítio Tomazzini, em Castelo (ES), ali é preparado um ótimo café coado (R$ 11,00) na aeropress ou na Hario. Para variar, prove o sagu cozido no café com creme de baunilha orgânica (R$ 10,00).

II Barista Cafés Especiais

A proprietária Gelma Franco seleciona os blends. São boas pedidas o ótimo soul, café mineiro do Chapadão de Ferro, intenso e de baixa acidez, e o perfumado jazz, da região Mogiana (R$ 5,90 cada xícara).

Isso é café

Isso é café

Isso É Café

É mantido pelo pessoal da Fazenda Ambiental Fortaleza, de Mococa (SP), que produz parte dos grãos arábica usados na casa. Lá, predomina a variedade catuaí-vermelho, o que garante um aromático expresso (R$ 6,00).

KOF — King of the Fork

Embora tenha a temática voltada para o universo dos ciclistas, o ambiente acolhedor pede uma pausa para o café. Uma das alternativas é a bebida feita com grãos da variedade catuaí-vermelho cultivados na Serra do Caparaó (MG/ES). Tanto o café coado quanto o passado na aeropress custam R$ 7,00.

Lá da Venda

Comandado pela chef Heloisa Bacellar, este misto de armazém, doceria e restaurante serve também um cafezinho de primeira. Passado no coador de pano direto na mesa com grãos da marca Martins Café, ele custa R$ 7,00.

Octavio Café

Octavio Café

Octavio Café

O bem tirado expresso (R$ 6,50) é feito com uma mistura de safras de bourbon-amarelo, catuaí e mundo novo. Para uma experiência diferente, há bebidas de grãos de microlotes. Entre as formas de preparo, as opções vão do coador de pano (R$ 14,00) a filtragens ainda pouco conhecidas, como a glass filter (R$ 14,00).

Santo Grão

Para ficar no básico, peça o expresso feito como blend da casa (R$ 5,50), mais intenso, tirado na máquina La Cimbali. Se a ideia é aguçar os sentidos, deguste um mesmo café passado na Hario (R$ 7,30) e na aeropress (R$ 12,50).

Sofá Café

Peça o blend da casa, que leva catuaí-vermelho do cerrado mineiro. Tem a intensidade mantida quando feito na aeropress (R$ 8,00), sempre sob a supervisão da barista Regina Machado.

Três novos sabores de expresso starbucks

Três novos sabores de expresso starbucks

Starbucks

Famosa pelos copões de café, a rede tem cinquenta endereços na capital. Para fugir do expresso (R$ 5,00), há bebidas com diferentes formas de preparo e sete tipos de blend. O kenya, por exemplo, leva grãos cultivados na África e pode vir na versão coada (R$ 5,00).

Suplicy Cafés Especiais

Os grãos do tipo arábica são cultivados em fazendas como a Castelhana, situada em Monte Carmelo (MG). A bebida preparada na prensa francesa custa R$ 14,00.

The Little Coffee Shop

The Little Coffee Shop

The Little Coffee Shop

Eleita a barista do ano pela última edição de VEJA COMER & BEBER, Flavia Pogliani comanda este minúsculo espaço. Em sua máquina italiana, só entram blends exclusivos da casa, atualmente com grãos bourbon-amarelo e catuaí-vermelho, cultivados em Machado (MG). Servida em copinho biodegradável, a bebida custa R$ 4,00.

Comentários
Deixe uma resposta

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s