Decreto transforma Praça do Pôr do Sol em parque

O espaço com quase 29 000 metros quadrados contará com gestão própria e um conselho para opinar sobre realização de festas e horário de funcionamento

A Praça Coronel Custódio Fernandes Pinheiro, conhecida como Praça do Pôr do Sol, no Alto de Pinheiros, agora será um parque. Decreto com a determinação foi publicado na edição do diário oficial desta sexta (14). A área de quase 29 000 metros quadrados agora será administrada pelo Departamento de Parques e Áreas Verdes da Secretaria Municipal do Verde e do Meio Ambiente.

As mudanças farão com que o lugar tenha gestão própria e um conselho para opinar sobre realização de festas e horário de funcionamento. Em julho do ano passado, reportagem da VEJA SÃO PAULO apurou que o lugar tinha virado point de consumo de álcool, drogas e música alta.

Programas que todo paulistano precisa fazer pelo menos uma vez na vida

A praça atraía cerca de 2 000 pessoas nos fins de semana, ambulantes e flanelinhas. As festas começavam no período da tarde e seguiam por toda a madrugada. Segundo moradores, alguns frequentadores chegavam a fazer sexo sobre os carros estacionados próximo ao local.

+ Prédio histórico do centro é reformado e vai abrigar Casa de Francisca

A proposta de transformar a praça em um parque foi levada à prefeitura em fevereiro do ano passado. A intenção era realizar uma reforma de 4 milhões de reais sem alterar a arquitetura original, assinada por Miranda Martinelli Magnoli e pela paisagista Rosa Kliass. “Teremos cuidado para não intervir na vista do horizonte”, disse Wanderley Meira do Nascimento, na época,  secretário do Verde, que afastou a possibilidade de instalar grades no local. “Isso seria uma interferência na paisagem.” A obra de maior impacto consiste em um mirante: abaixo dele seriam construídos banheiros e uma área administrativa. Um espaço para leitura e um novo playground também estão previstos.

Confira as últimas notícias

Além das melhorias na infraestrutura, o local poderá ganhar serviços mais eficientes em segurança e conservação. No primeiro caso, com a contratação de uma equipe fixa de vigilância, que permaneceria ali 24 horas por dia. No segundo, com a ampliação dos horários de limpeza. Parques municipais contam com varrição diária; na Praça do Pôr do Sol, o recolhimento de lixo é realizado só nos fins de semana e às segundas. Também pode ser  criada uma agenda de eventos organizada, com atividades de educação ambiental para crianças, por exemplo. “A área urbana exige convivência, é preciso haver regras”, afirmou o ex-secretário na época.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s