Polícia Civil faz megaoperação contra o tráfico na cracolândia

Ao menos 500 agentes de segurança estão na ação para desmantelar o domínio do PCC na área

Ao menos 500 agentes de segurança integram uma megaoperação para prender integrantes do Primeiro Comando da Capital (PCC) na região da Cracolândia, área central de São Paulo, manhã deste domingo (21).

Segundo o Departamento de Investigações sobre Narcóticos (Denarc), são cerca de 72 pessoas identificadas que devem ser detidas no centro, Zona Leste, Zona Norte e Grande São Paulo. Desde outubro do ano passado, investigadores estavam trabalhando para identificar os criminosos que atuam no pedaço. A polícia escolheu atuar no fim de semana por ser um período mais calmo e evitar maiores transtornos para a população e o comércio.

Há 25 anos a Cracolândia é um território com leis próprias, a exemplo das favelas dominadas pelo comércio de drogas. Naquela região degradada do centro, como se sabe, quem manda mesmo são os traficantes. As tentativas de ação do poder público para tirar das ruas os viciados e oferecer a eles tratamento digno obtiveram até agora resultados decepcionantes.

O “feirão” de drogas ocorre de forma escancarada, apesar da presença de guardas no pedaço, com cerca de trinta barracas. Elas possuem tetos forrados com lonas pretas e azuis. As pedras e os tijolos de crack são vendidos sob mesinhas de metal. Conforme VEJA SÃO PAULO identificou no local, os bandidos sentem-se tão à vontade que deixam até revólver e maço de dinheiro em cima. Nessa área, há uma placa branca, como se fosse um banner, com a inscrição PCC em vermelho. A mais recente novidade revelada por VEJA SÃO PAULO na semana passada é que nem a coleta de lixo pela prefeitura vinha sendo realizada no lugar, tamanho o medo dos empregados das companhias de limpeza de circular por lá desde o último confronto na quarta-feira (10) entre a Polícia Militar e Guardas Civis Metropolitanos e usuários de drogas e traficantes.

No início de maio, o socorrista Bruno de Oliveira entrou no “fluxo” para resgatar uma mulher de 27 anos a pedido da mãe da garota. Ele ficou quatro dias desaparecido e acabou sendo encontrado morto nas imediações. Seu corpo estava amarrado e cheio de ferimentos. O 3º Distrito Policial (Campos Elísios) ainda investiga o caso.

 

 

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  1. Me expliquem uma coisa. Se o local se chama “Cracolândia” e sabemos que aí vivem usuários de drogas, qual é a surpresa ou indignação de que nesse local haja vendedores de drogas?? Ora, meus caros leitores e comentaristas É ÓBVIO que haja vendedores e traficantes! Ou vocês acham que os “nóias” ficariam lá sem consumir drogas?? E que haveria somente vendedores de sorvetes e pastéis?? Que hipocrisia é essa?! Esse prefeito diz que vai acabar com a cracolândia “muito em breve”. E o que ele vai fazer com os drogados? Matá-los, a todos? Eles sairão de lá e irão a outros lugares da cidade. Não há solução. Nem a internação funciona. Dependência química é escravizante ao máximo.

  2. Márcio Silva

    Caro Fábio Luca, moro na região central e vejo como excelente a atitude do prefeito Dória. Quando a pessoa usa drogas, isso é um problema para o próprio indivíduo e sua família. Porém, quando mais de 500 pessoas usam drogas fechando uma rua da cidade, impedindo o direito do cidadão de bem poder ir e vir, aí passa a ser um outro problema que precisa sim ser combatido pela ptefeitura. Era um absurdo a existência da Cracolândia durante 25 anos. Parabéns ao prefeito Dória.

  3. A cracolândia é o troféu da incompetência na administração pública. Como pode o poder público ser conivente com tal situação no qual nos coloca em condições iguais a cenas do filme “Mad Max”?? Infelizmente, infelizmente… As vezes acredito que países como a Indonésia, esta no caminho certo para acabar com esta doença MORAL.

  4. Só falta fazer a conexão entre pcc e os políticos e juizes corruptos que contemplavam de braços cruzados o pcc operando e provavelmente pagando propina. Acelera Brasil