Carro de atropelador está irregular há três anos e tem quinze multas

Pajero dirigida por Sulivan Cândido de Oliveira deve mais de 7 000 reais ao Detran e não poderia estar nas ruas

A Pajero dirigida pelo empresário Sulivan Cândido de Oliveira – que atropelou dez pessoas na Vila Madalena na noite de domingo (23)  – circulava irregularmente desde 2011 e tinha pelo menos quinze multas de trânsito. A maioria das infrações é por excesso de velocidade. 

Apesar de ter sido vendido em 2011, o carro está até hoje no nome da loja Boldrin e Gil Veículos, que tem sede em São Vicente, na Baixada Santista. O veículo foi financiado em 36 meses e ainda tem parcelas em aberto. 

Entre as multas, duas são pela não transferência do veículo para o nome do novo proprietário no prazo legal de trinta dias após a venda. Há ainda uma infração por estacionamento irregular no centro de São Paulo e outra por desrespeito ao rodízio. Todas foram cometidas a partir de março de 2011, quando a loja protocolou uma comunicação de venda no Detran – ou seja, informou aos órgãos oficiais que o carro não pertencia mais à empresa.

+ Não vou falar a favor dele, diz mãe de atropelador da Vila Madalena

O último licenciamento foi pago em 2011. Desde então, nenhum débito foi quitado. Só de IPVA atrasado, o veículo tem uma pendêcia de 3 608 reais com o Detran. Com as multas, taxas e seguro obrigatórios, a dívida chega a 7 012 reais.

O empresário foi transferido na segunda (24) para no Centro de Detenção Provisória de Pinheiros e foi autuado por embriaguez ao volante. Segundo a polícia, ele ainda não tem advogado constituído. Oliveira é proprietário de uma pequena loja de peças de moto na Rua Guaianases, no centro. No local, os funcionários não quiseram comentar o caso ou dar qualquer informação a respeito do motorista. 

Entenda o caso

Sulivan Cândido de Oliveira, de 26 anos, avançou com o carro em cima de uma multidão que participava dos blocos de rua da Vila Madalena no domingo (23), na esquina das ruas Fidalga e Aspicuelta. As imagens captadas pelas câmeras de segurança de um dos bares mostram que o motorista deu ré bruscamente e depois acelerou, atingindo dez pessoas. Ninguém teve ferimentos graves.  

Segundo a CET, o bloqueio das vias foi parcial e ocorreu somente durante a passagem dos blocos. Na hora do acidente, por volta das 19h40, a maioria já havia dispersado e a prefeitura avaliou que não havia mais necessidade de interdição. 

Mais de dez blocos desfilaram na Vila Madalena no domingo, entre eles o Nóis Trupica mais num Cai, Rolezinho da Negona e o Ó do Borogodó. Juntos, reuniram cerca de 9 mil pessoas – fora os clientes dos bares da região, que costumam lotar as calçadas nos fins de semana. 

* Colaboraram Silas Colombo, Júlia Gouveia e Luan Freires

 

 

 

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s