Debaixo de chuva, Aerosmith toca clássicos em São Paulo

Banda liderada por Steven Tyler se apresentou neste domingo (30) na Arena Anhembi

Após apresentação em maio de 2010, o Aerosmith voltou a São Paulo para fazer um show neste domingo (30), na Arena Anhembi. No ano passado, o grupo vivia uma crise que quase culminou na saída do vocalista Steven Tyler. Feitas as pazes, desta vez os músicos se portaram no palco como namorados que acabaram de reatar. Tocaram em plena sintonia e Tyler fez questão de dividir os holofotes com seus companheiros, incentivando solos e até tocando bateria junto com Joey Kramer.

+ Veja a galeria com imagens do show

+ Aerosmith deixa os desentendimentos de lado e volta a São Paulo

+ Maratona de tiozão: shows para quem gosta de hits do século passado

+ Confira um roteiro feito para o roqueiro das antigas

Após cerca de 15 minutos de atraso, o show começou com um telão mostrando animada montagem de propagandas, desenhos animados antigos e imagens do Aerosmith. Só depois a banda apareceu de fato, para alívio da plateia que gritava a qualquer movimento no palco.

Apesar dos planos de lançar um disco de músicas inéditas em março do ano que vem, o grupo apresentou apenas seus clássicos. Figuraram no set list canções como “I Don’t Want To Miss a Thing”, “Dream On” e “Walk This Way”.

E a chuva não deu trégua nem para os músicos, pois o vento se encarregou de levar água para o palco. Mas Tyler não pareceu se importar e passou grande parte do show na passarela que adentrava a pista premium. Assim, no meio do público, não faltou contato com os fãs: jogou seus óculos e uma tolha, aceitou o pedido de casamento feito por meio de um cartaz e até pegou uma boneca inflável que tinha escrito no corpo o nome da música “Sweet Emotion”.

Mas o clímax foi quando Tyler falou para filmar um grupo à beira da passarela que segurava papéis com os dizeres “I’m your angel”, referência à canção “Angel”. Comovido, ele pediu que a banda tocasse a música e disse que não a apresentavam havia cinco anos.

Em cerca de uma hora e cinquenta minutos, a banda mostrou que após quatro décadas de carreira ainda move multidões. Aos 63 anos, Tyler impressiona com seu desempenho no palco: ele não para quieto um minuto sequer e a garganta não o deixa na mão quando alcança com seus característicos agudos.

O vocalista, aliás, ainda exibia os hematomas decorrentes de um acidente que sofreu ao supostamente ter caído em um banheiro de hotel no Paraguai, onde se apresentou na quarta (26). O solo do baterista Kramer também foi um show à parte, com o músico chegando a tocar freneticamente apenas com os punhos.

 

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s