Continua após publicidade

Testes genéticos revelam predisposição a doenças e dietas mais eficazes

Empresas usam tecnologia de leitura do DNA para identificar exercícios físicos que provocam mais resultados e propensões a rugas, por exemplo

Por Fernanda Campos Almeida
Atualizado em 27 Maio 2024, 19h27 - Publicado em 8 out 2021, 06h00

Famosos por indicar de onde vieram nossos ancestrais por meio de uma simples amostra de saliva, os testes genéticos também usam a mesma tecnologia de leitura do DNA para descobrir características da personalidade e do metabolismo e prever possíveis alterações na saúde e na beleza.

Testes da Linha Bem-Estar (499 reais) do laboratório Genera ou o exame NutriFit (1 980 reais) da ConectGene, por exemplo, podem ajudar na perda de peso, ganho de músculos e cuidados com a pele, pois identificam os alimentos que são mais bem absorvidos, exercícios físicos que provocam mais resultados, propensões a rugas e calvície etc.

Já o meuDNA Saúde (899 reais) e o FarmaGen (1 980 reais), também da ConectGene, revelam as predisposições a vários tipos de câncer e outras doenças. A Linha Saúde da Genera também mostra quais remédios são mais eficientes para cada pessoa. “São informações que muitas vezes não estão no histórico familiar. O cliente faz dezenas de testes em um só e descobre o que precisa prevenir”, afirma David Schlesinger, neurologista e CEO do meuDNA.

Um teste de coleta da empresa meuDna. Tem uma caixinha amarela com as instruções, uma espécie de cotonete ao lado e uma caixa preta também
Kit de coleta meuDNA (de 399 a 1 249 reais): cotonete e manual de instruções (Divulgação/Divulgação)

A tecnologia também aprimorou o antigo Teste do Pezinho (coleta de gotas de sangue dos pés de recémnascidos), que atualmente detecta seis doenças em bebês. O meuDNA Bochechinha (1249 reais) ou o BabyVip da ConectGene (1470 reais) reconhecem mais de 300 enfermidades genéticas de forma preventiva.

Continua após a publicidade

O cliente escolhe e compra o tipo de teste desejado pelo site, recebe o kit em casa, coleta a amostra da mucosa das bochechas e devolve o kit à empresa sem custos extras. No laboratório, o DNA das células bucais é analisado. Uma técnica chamada microarranjo faz a leitura do mapeamento genético. Os resultados são interpretados e traduzidos com linguagem fácil em um relatório enviado ao cliente por e-mail ou aplicativo em 25 a 42 dias úteis, dependendo da empresa, a partir da chegada da amostra no laboratório.

Cada característica é explicada no documento, mas, para quem quer ir além, a Genera, por exemplo, dispõe de atendimentos com aconselhadores especializados em genética, nutricionistas, educadores físicos e historiadores.

+Assine a Vejinha a partir de 8,90.

Publicado em VEJA São Paulo de 13 de outubro de 2021, edição nº 2759

https://youtu.be/a3AvpUfaeRE

Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes.
Se você já é assinante clique aqui para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Domine o fato. Confie na fonte.
10 grandes marcas em uma única assinatura digital
Impressa + Digital no App
Impressa + Digital
Impressa + Digital no App

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique.

Assinando Veja você recebe semanalmente Veja SP* e tem acesso ilimitado ao site e às edições digitais nos aplicativos de Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Superinteressante, Quatro Rodas, Você SA e Você RH.
*Para assinantes da cidade de São Paulo

a partir de 49,90/mês

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.