Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Prefeitura retoma agendamentos médicos na rede pública em junho

Marcações de exames e de consultas estavam suspensas desde março na cidade por causa da pandemia

Por Redação VEJA São Paulo 31 Maio 2020, 12h16

Atendimentos médicos agendados pelos Hospitais-Dia (HD), Ambulatórios de Especialidades (AE) e AMAs retornam a partir do dia 1º de junho na capital paulista, segundo decreto publicado pela Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo.

Pacientes que tinham atendimento agendado no Sistema Integrado de Gestão da Assistência à Saúde (SIGA) em março e não realizaram por conta do isolamento social podem reagendar a consulta. A Prefeitura de São Paulo havia suspendido exames, consultas e procedimentos desde o dia 20 de março para evitar a propagação do coronavírus.

Serão permitidas as consultas presenciais de especialidades adulto e pediátrica, realização de exames e procedimentos ambulatoriais. No entanto, atendimentos do centro cirúrgico permanecem suspensos.

Para evitar aglomerações de pacientes, a secretaria pede que um intervalo de 40 minutos, ou conforme determinado pela unidade, entre os exames e que um paciente seja atendido a cada hora para consultas. Só será permitido comparecer a unidade quem tiver com pedido médico em mãos e, durante a pandemia, não é necessário retirar o comprovante de agendamento.

As agendas das especialidades clínicas adulto e pediátrica que serão reabertas, são endocrinologia, cardiologia, psiquiatria, hematologia, nefrologia, neurologia, geriatria, pré-natal de alto risco, pneumologia, infectologista, mastologista, dermatologia, gastrenterologia, hematologia, homeopatia, oftalmologia, otorrinolaringologia, reumatologia e ortopedia.

Os exames que poderão ser agendados ou reagendados, são: ultrassonografia transvaginal, ecocardiograma, mamografia, densitometria óssea, eletrocardiograma e eletroencefalograma.

  • Continua após a publicidade
    Publicidade