Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Polícia argentina faz busca na casa de médico de Diego Maradona

Leopoldo Luque é acusado oficialmente de homicídio culposo

Por Redação VEJA São Paulo Atualizado em 29 nov 2020, 15h21 - Publicado em 29 nov 2020, 15h20

O médico Leopoldo Luque, que atendia a Diego Maradona, foi acusado formalmente por homicídio culposo (quando não há intenção de matar). Segundo o jornal esportivo “Marca”, a Justiça argentina autorizou uma ação de busca na casa e na clínica do especialista. No processo, o profissional responderá se foi ou não negligente nos últimos dias de vida do astro do futebol.

A promotoria quer saber o motivo de Maradona ter recebido alta quando estava internado em uma clínica, depois de uma operação de um tumor na cabeça. Do local, ele foi para um condomínio fechado em Tigre, na região metropolitana de Buenos Aires.

Poucas horas depois da morte do ídolo, o advogado Matías Morla afirmou que a ambulância demorou mais de meia hora para chegar à casa onde estava Maradona.

Don Diego morreu na quarta-feira (25) aos 60 anos. As causas da morte foram um edema agudo de pulmão e uma insuficiência cardíaca crônica.

  •  

    Continua após a publicidade
    Publicidade