Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

O que é vidro fosco no pulmão, detectado em Zé Neto

Alteração pode ser detectada em exame de imagem e pode indicar série de doenças; sertanejo usa cigarro eletrônico, que tem venda proibida no Brasil

Por Redação VEJA São Paulo 23 dez 2021, 15h57

Em um exame realizado pelo cantor sertanejo Zé Neto, que faz dupla com Cristiano, foi detectado um foco de vidro fosco em seu pulmão. Trata-se de uma alteração que aparece no exame de tomografia computadorizada e pode indicar várias doenças, já que o vidro fosco por si só não é uma doença.

Segundo a assessoria de imprensa do cantor, ele já está em tratamento.

“Zé Neto está com foco de vidro no pulmão não é nada grave, mas causa um pouco de falta de ar para cantar. Este tipo de problema pode ser resquício do Covid e também é uma das consequências do consumo do Viper”, informou a assessoria de imprensa, em nota.

O Viper citado pela assessoria é mais conhecido como Vaper ou ainda Vape, que remetem a abreviação de vaporizador.

Apesar da alteração, o sertanejo já está em sua casa, e, segundo declarações recentes, já “está 99%”.

+Amor na pandemia: histórias apaixonantes de casais que se uniram na crise

Em geral o vidro fosco aparece no exame de imagem chamado tomografia computadorizada no tórax. Trata-se do procedimento para investigar possíveis problemas no pulmão.

Uma das características de sua presença é uma elevação da densidade normal do pulmão. O achado por si só não é suficiente para detectar qual é a doença que acomete o paciente, já que são necessários exames clínicos e anatomopatológicos, tais como a biópsia, para que seja feito um diagnóstico correto.

Ele pode indicar uma série de doenças inflamatórias, tumores ou infecções dos pulmões. O vidro fosco também pode surgir devido à presença de um artefato, como por exemplo quando o paciente não consegue respirar adequadamente durante o exame. A interpretação correta depende da interpretação da tomografia do tórax, a ser feita por um médico radiologista.

Continua após a publicidade

Um dos sintomas de quem apresenta um foco de vidro fosco no pulmão é justamente o da falta de ar. Nessa situação, a pessoa pode ficar mais cansada e sentir que está fazendo mais esforço para atividades simples do dia a dia.

Covid e cigarro

“Algumas doenças que podem levar ao aparecimento de vidro fosco nos pulmões são por exemplo a Covid-19, outras pneumonias virais e bacterianas, edema pulmonar e o uso de cigarro eletrônico. No entanto é fundamental a avaliação clínica em correlação com os achados da tomografia para se chegar a um diagnóstico mais preciso”, afirma o médico Alexandre Mançano, radiologista torácico, integrante do Departamento de Imagem da Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia, do Colégio Brasileiro de Radiologia e Diagnóstico por Imagem e do Grupo Brasileiro de Radiologia Torácica.

Questionada a respeito, a assessoria de imprensa de Zé Neto não especificou qual é o diagnóstico da doença do cantor.

+Assine a Vejinha a partir de 6,90.

Segundo mencionou em nota, o problema pode ser resquício de Covid e consumo de viper, um tipo de cigarro elétrico que tem venda proibida no Brasil desde o ano de 2009 por meio de uma resolução da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

“Atualmente seu uso está disseminado entre jovens, podendo ser tão danoso quanto o cigarro convencional, pois o aquecimento dos diversos líquidos para liberação do vapor que é inalado pelo usuário pode liberar diversas substâncias químicas lesivas aos pulmões”, afirma Mançano.

A venda do produto é proibida no Brasil, apesar de várias pessoas, inclusive influenciadores em redes sociais, ostentarem o fumo nos sabores mais diversos possíveis.

Dez anos depois de vetar o produto, a Anvisa emitiu um alerta indicando uma série de problemas pulmonares detectados nos EUA devido ao uso do Vape. “Inclusive com mortes, especialmente quando seu uso foi feito com maconha ou derivados”, afirma Mançano.

O alerta foi enviado para 252 instituições de saúde no país, entre elas o CFM (Conselho Federal de Medicina) e AMB (Associação Médica Brasileira).

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Para entender e curtir o melhor de SP, Veja São Paulo. Assine e continue lendo.

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos no site e ter acesso a edição digital no app.

Resenhas dos melhores restaurantes, bares e endereços de comidinhas de São Paulo.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)

Impressa + Digital

Plano completo da VejaSP! Acesso aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias e revista no app.

Resenhas dos melhores restaurantes, bares e endereços de comidinhas de São Paulo.

Receba semanalmente VejaSP impressa mais acesso imediato às edições digitais no App Veja, para celular e tablet.

a partir de R$ 19,90/mês