Clique e assine por apenas 6,90/mês

Mica

(Desde 2017)

Tipos de Bares: Asiáticos

VejaSP:

Endereço: Rua Guaicuí, 33 - São Paulo - SP ver no mapa

Telefone: (11) 33602608

Horário:

segunda-feira 12:00 - 15:00 - 19:00 - 23:00

terça-feira 12:00 - 15:00 - 19:00 - 00:00

quarta-feira 12:00 - 15:00 - 19:00 - 00:00

quinta-feira 12:00 - 15:00 - 19:00 - 00:00

sexta-feira 12:00 - 15:00 - 19:00 - 00:00

sábado 12:00 - 00:00

domingo 13:00 - 22:00

Informações adicionais: Lugares/Capacidade total (60), Levar vinhos (permite) (R$ 60,00)

Resenha por Saulo Yassuda e Gabrielli Menezes

Em vez das mãos, é necessário um par de hashis para comer o topoki (R$ 28,00), petisco que ganha o título de número 1 da cidade. Essa é uma das delícias do Mica, bar especializado em pequenas porções de inspiração asiática. Não se trata de um acepipe tradicional. Ao contrário. A massa de arroz muito apreciada pelos coreanos ganha tratamento especial. Cortada em bastões, como um nhoque, vai para a frigideira se bronzear na manteiga, tal qual na receita italiana, e flambar com saquê mirin. Ganha uma crosta dourada para lá de sexy, interior elástico e um traço adocicado. Só então a massa é envolta por furikake, condimento japonês de peixe seco, alga e gergelim. “Estamos desenvolvendo uma versão vegana do tempero”, promete o chef Caio Alciati, que, junto com João Gertel, é responsável pela cozinha das casas do grupo, entre elas o bar Pitico. Antes de ser servido, o nhoque ítalo-coreano ganha a fundamental parceria de gema de ovo curada em shoyu e salada de cogumelo eryngui, cebolinha e cebola-roxa temperada com vinagre de arroz vermelho. Basta romper a gema e fazer uma baguncinha com todos os ingredientes para sentir o surpreendente jogo de sabores e texturas.

Informações checadas entre agosto e outubro de 2019.

    Em vez das mãos, é necessário um par de hashis para comer o topoki (R$ 28,00), petisco que ganha o título de número 1 da cidade. Essa é uma das delícias do Mica, bar especializado em pequenas porções de inspiração asiática. Não se trata de um acepipe tradicional. Ao contrário. A massa de arroz muito apreciada pelos coreanos ganha tratamento especial. Cortada em bastões, como um nhoque, vai para a frigideira se bronzear na manteiga, tal qual na receita italiana, e flambar com saquê mirin. Ganha uma crosta dourada para lá de sexy, interior elástico e um traço adocicado. Só então a massa é envolta por furikake, condimento japonês de peixe seco, alga e gergelim. “Estamos desenvolvendo uma versão vegana do tempero”, promete o chef Caio Alciati, que, junto com João Gertel, é responsável pela cozinha das casas do grupo, entre elas o bar Pitico. Antes de ser servido, o nhoque ítalo-coreano ganha a fundamental parceria de gema de ovo curada em shoyu e salada de cogumelo eryngui, cebolinha e cebola-roxa temperada com vinagre de arroz vermelho. Basta romper a gema e fazer uma baguncinha com todos os ingredientes para sentir o surpreendente jogo de sabores e texturas.

    Informações checadas entre agosto e outubro de 2019.