Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Koburger

(Desde 2019)

Tipos de Comidinhas: Hambúrgueres

VejaSP:

Endereço: Rua Padre García Velho, 83 - Pinheiros - São Paulo - SP ver no mapa

Telefone: (11) 30311779

Horário:

segunda-feira - Fechado

terça-feira 18:00 - 22:00

quarta-feira 11:30 - 16:00 - 18:00 - 22:00

quinta-feira 11:30 - 16:00 - 18:00 - 22:00

sexta-feira 11:30 - 16:00 - 18:00 - 22:00

sábado 12:00 - 16:00 - 17:30 - 22:00

domingo - Fechado

Informações adicionais: Lugares/Capacidade total (30)

Resenha por Gabriela Del'Moro

Uma das carnes mais celebradas do mundo, o wagyu é a matéria-prima dos hambúrgueres da Koburger. A raça bovina originária do Japão, que também é conhecida como kobe beef, tem maior quantidade de gordura entre as fibras — o tal do marmoreio —, o que deixa os cortes macios e apetitosos. Para sentir esse sabor turbinado, vale pedir o chef’s koburger (R$ 32,00), com o disco de carne moída tenro e molhadinho, que quase se desfaz na boca. É incrementado com bacon, cebola-roxa, cebola caramelada, alface-americana, queijo prato e molhos barbecue e da casa. No pão australiano, o the japanese burger (R$ 32,00) leva o mesmo hambúrguer com cogumelo shimeji, alface-americana, sunomono (conserva de pepino agridoce), queijo prato na chapa, molho de shoyu com gengibre e maionese de wassabi. Essa profusão de ingredientes acaba tirando o protagonismo do wagyu, mas a combinação não deixa de ser saborosa. Os preços não vão às alturas, como geralmente ocorre com essa carne, graças à produção própria do gado —um dos proprietários é dono de fazendas em São Paulo e Mato Grosso do Sul. Antes de ir para as atrações principais, peça o karaage (R$ 32,00 a porção), frango frito com casquinha crocante e interior macio ao molho oriental. O minipudim de leite (R$ 12,00), de produção terceirizada, finaliza bem a visita.

Informações checadas em janeiro de 2021.

    Uma das carnes mais celebradas do mundo, o wagyu é a matéria-prima dos hambúrgueres da Koburger. A raça bovina originária do Japão, que também é conhecida como kobe beef, tem maior quantidade de gordura entre as fibras — o tal do marmoreio —, o que deixa os cortes macios e apetitosos. Para sentir esse sabor turbinado, vale pedir o chef’s koburger (R$ 32,00), com o disco de carne moída tenro e molhadinho, que quase se desfaz na boca. É incrementado com bacon, cebola-roxa, cebola caramelada, alface-americana, queijo prato e molhos barbecue e da casa. No pão australiano, o the japanese burger (R$ 32,00) leva o mesmo hambúrguer com cogumelo shimeji, alface-americana, sunomono (conserva de pepino agridoce), queijo prato na chapa, molho de shoyu com gengibre e maionese de wassabi. Essa profusão de ingredientes acaba tirando o protagonismo do wagyu, mas a combinação não deixa de ser saborosa. Os preços não vão às alturas, como geralmente ocorre com essa carne, graças à produção própria do gado —um dos proprietários é dono de fazendas em São Paulo e Mato Grosso do Sul. Antes de ir para as atrações principais, peça o karaage (R$ 32,00 a porção), frango frito com casquinha crocante e interior macio ao molho oriental. O minipudim de leite (R$ 12,00), de produção terceirizada, finaliza bem a visita.

    Informações checadas em janeiro de 2021.