Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Bar do Giba

(Desde 1987)

Tipos de Bares: Botecos

VejaSP:

Endereço: Avenida Moaci, 574 - Moema - São Paulo - SP ver no mapa

Telefone: (11) 55359220

Horário:

segunda-feira - Fechado

terça-feira 17:00 - 23:00

quarta-feira 17:00 - 23:00

quinta-feira 17:00 - 23:00

sexta-feira 17:00 - 23:00

sábado 13:00 - 22:00

domingo 12:00 - 19:00

Informações adicionais: Lugares/Capacidade total (60), Levar vinhos (permite) (R$ 42,00)

Resenha por Saulo Yassuda

Bendito aquele dia, no fim dos anos 80, em que Giba — na época, ele atendia por Gilberto Abrão Turibus, bancário — decidiu montar seu botequim. Sucesso em Moema, o bar apresenta ambiente nostálgico, com garrafas de refrigerante Crush e antigas latas de cerveja na decoração. O atendimento, simpático, já é uma velha tradição local, assim como a falta de cardápio físico ou por QR code. Desde a abertura, os pratos e bebidas são sugeridos pelos garçons, o que pode desagradar a quem gosta de estudar o menu com seus preços para só então fazer o pedido. São ótimas opções para acompanhar a cerveja (Serramalte, R$ 16,60) o bolinho de bacalhau (R$ 7,95 a unidade), com bom equilíbrio na quantidade de batata e peixe, e o bolinho de feijoada (R$ 9,35 cada um), receita celebrada pela chef Kátia Barbosa, do Aconchego Carioca, no Rio. A massa de feijão-preto ganha no interior pedacinhos de bacon e couve, ao lado de uma fatia de laranja e de torresmo. Apenas aos domingos, o público encontra o picadinho (R$ 57,00), feito com cubos grandes de filé-mignon na companhia de pastel, farofa, banana à milanesa, ovo frito, arroz e feijão-preto. A caipirinha com cachaça mineira branca, limão e caju (R$ 26,50) é outra boa alternativa para beber.

Informações checadas entre outubro e novembro de 2020.

    Bendito aquele dia, no fim dos anos 80, em que Giba — na época, ele atendia por Gilberto Abrão Turibus, bancário — decidiu montar seu botequim. Sucesso em Moema, o bar apresenta ambiente nostálgico, com garrafas de refrigerante Crush e antigas latas de cerveja na decoração. O atendimento, simpático, já é uma velha tradição local, assim como a falta de cardápio físico ou por QR code. Desde a abertura, os pratos e bebidas são sugeridos pelos garçons, o que pode desagradar a quem gosta de estudar o menu com seus preços para só então fazer o pedido. São ótimas opções para acompanhar a cerveja (Serramalte, R$ 16,60) o bolinho de bacalhau (R$ 7,95 a unidade), com bom equilíbrio na quantidade de batata e peixe, e o bolinho de feijoada (R$ 9,35 cada um), receita celebrada pela chef Kátia Barbosa, do Aconchego Carioca, no Rio. A massa de feijão-preto ganha no interior pedacinhos de bacon e couve, ao lado de uma fatia de laranja e de torresmo. Apenas aos domingos, o público encontra o picadinho (R$ 57,00), feito com cubos grandes de filé-mignon na companhia de pastel, farofa, banana à milanesa, ovo frito, arroz e feijão-preto. A caipirinha com cachaça mineira branca, limão e caju (R$ 26,50) é outra boa alternativa para beber.

    Informações checadas entre outubro e novembro de 2020.