Clique e assine por apenas 5,90/mês

A Barra

Tipos de Bares: Drinques

VejaSP:

Endereço: Rua Barra Funda, 935 - Barra Funda - São Paulo -

Telefone: (11) 996930935

Horário:

segunda-feira - Fechado

terça-feira - Fechado

quarta-feira 18:00 - 22:00

quinta-feira 18:00 - 22:00

sexta-feira 18:00 - 22:00

sábado 18:00 - 22:00

domingo 18:00 - 22:00

Resenha por Saulo Yassuda

Um jovem casal, formado por um bartender e uma cozinheira, tem dado um tempero extra à coquetelaria paulistana. Juglio Ortiz e Nora Brass, que se conheceram quando trabalhavam no restaurante Hospedaria, na Mooca, montaram, pouco antes da quarentena, o A Barra. No bar, o público tem uma experiência sedutora e ainda não habitual na cidade: harmonizar drinques e comida. Atrás de uma extensa bancada (meio alta para as banquetas, aliás), ele faz mesclas balanceadas e autorais (R$ 27,00), enquanto ela expede pratos bem pensados e cheios de sabor (R$ 25,00). Tanto as receitas sólidas quanto as líquidas são sugeridas em duplas — mas está tudo bem se você quiser só bebericar ou só petiscar, já que as vendas não são casadas. E há, ainda, coquetéis clássicos, por R$ 29,00. Com toque defumado, a mistura de tequila com infusão de coco queimado, xarope de mel, limão e aquafaba (emulsificante natural extraído do grão-de-bico, que não dá gosto, mas, sim, textura) é uma criação equilibrada e fácil de beber. A proposta é fazer par com o mole, um tipo de molho mexicano de pimentas, cacau e outros vegetais, servido ao lado de chips de tortilha de trigo. Mais um drinque que merece elogios, muito fresco e delicado, é o mix de soju (destilado coreano), melão, pepino, salsão, limão, açúcar e um traço de absinto branco, além da aquafaba. A combinação dele é feita com banana-da-terra grelhada ao curry verde de cevadinha e tucupi sobre folhas tostadas de alho-poró. Os comes e bebes não têm nome e são identificados na carta (apenas de papel, uma pena) com haicais, minipoemas assinados por nomes como Paulo Leminski. Por isso, talvez sobre para você recitar alguns versos na hora de fazer o seu pedido.

 

Informações checadas no mês de outubro de 2020.

    Um jovem casal, formado por um bartender e uma cozinheira, tem dado um tempero extra à coquetelaria paulistana. Juglio Ortiz e Nora Brass, que se conheceram quando trabalhavam no restaurante Hospedaria, na Mooca, montaram, pouco antes da quarentena, o A Barra. No bar, o público tem uma experiência sedutora e ainda não habitual na cidade: harmonizar drinques e comida. Atrás de uma extensa bancada (meio alta para as banquetas, aliás), ele faz mesclas balanceadas e autorais (R$ 27,00), enquanto ela expede pratos bem pensados e cheios de sabor (R$ 25,00). Tanto as receitas sólidas quanto as líquidas são sugeridas em duplas — mas está tudo bem se você quiser só bebericar ou só petiscar, já que as vendas não são casadas. E há, ainda, coquetéis clássicos, por R$ 29,00. Com toque defumado, a mistura de tequila com infusão de coco queimado, xarope de mel, limão e aquafaba (emulsificante natural extraído do grão-de-bico, que não dá gosto, mas, sim, textura) é uma criação equilibrada e fácil de beber. A proposta é fazer par com o mole, um tipo de molho mexicano de pimentas, cacau e outros vegetais, servido ao lado de chips de tortilha de trigo. Mais um drinque que merece elogios, muito fresco e delicado, é o mix de soju (destilado coreano), melão, pepino, salsão, limão, açúcar e um traço de absinto branco, além da aquafaba. A combinação dele é feita com banana-da-terra grelhada ao curry verde de cevadinha e tucupi sobre folhas tostadas de alho-poró. Os comes e bebes não têm nome e são identificados na carta (apenas de papel, uma pena) com haicais, minipoemas assinados por nomes como Paulo Leminski. Por isso, talvez sobre para você recitar alguns versos na hora de fazer o seu pedido.

     

    Informações checadas no mês de outubro de 2020.