Continua após publicidade

‘Um Evento Feliz’ mostra as dores e os prazeres de ter um bebê

A comédia dramática francesa trata a maternidade de várias maneiras: como fita de humor negro, romance ou drama conjugal

Por Miguel Barbieri Jr.
Atualizado em 5 dez 2016, 16h28 - Publicado em 19 dez 2012, 17h07

Barbara (Louise Bourgoin, de As Múmias do Faraó) faz tese de mestrado em filosofia e mora sozinha. Já o cuca-fresca Nicolas (Pio Marmaï) trabalha como atendente em uma videolocadora. Da troca de olhares, surgem uma deliciosa paquera e uma noite inesquecível. Voilà. Barbara e Nicolas ficam grudados, passam a dividir o mesmo teto e a afinar intimidades. Pouco tempo depois, chega a notícia: eles vão ter um bebê. O que seria algo bacana na vida da maioria dos casais torna-se uma pedrinha no relacionamento dos protagonistas da comédia dramática francesa Um Evento Feliz.

A princípio, o roteiro do filme adaptado do livro autobiográficode Eliette Abecassis seria escrito por uma mulher e mãe. O diretor Rémi Bezançon insistiu com a produtora para que ela mudasse de ideia e convidasse um homem sem filhos para a tarefa. Resultado: o próprio Bezançon se encarregou do texto. O distanciado olhar masculino e dois protagonistas sem muita ligação afetiva com crianças tornaram a história ainda mais crível. Toda a narrativa percorre as dores e a delícia de ser mãe. Primeiro, são os enjoos; depois, o barrigão. Barbara não vê mal algum em transar grávida, mas o marido, incomodado, a rejeita. Sem sexo e muito irritada, a moça nota apenas o lado negativo da gestação. Em seguida, vêm o caro enxoval, o parto doloroso, os choros do bebê, as noites maldormidas e, por todos os motivos anteriores, uma depressão e a crise no casamento.

Contudo, a fita não é tão pessimista no retrato da mãe de primeira viagem. Há momentos bastante ternos no longa, sobretudo quando Barbara se apega, de uma forma até radical,à filha. O enredo trata a maternidade de várias maneiras. Como ácida comédia de humor negro, romance ou drama conjugal, Um Evento Feliz se destaca pela original reunião de gêneros, tornando-se realista na medida certa.

AVALIAÇÃO ✪✪✪

Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes.
Se você já é assinante clique aqui para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Para curtir o melhor de São Paulo!
Receba VEJA e VEJA SP impressas e tenha acesso digital a todos os títulos Abril.
Impressa + Digital no App
Impressa + Digital
Impressa + Digital no App

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique.

Assinando Veja você recebe semanalmente Veja SP* e tem acesso ilimitado ao site e às edições digitais nos aplicativos de Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Superinteressante, Quatro Rodas, Você SA e Você RH.
*Para assinantes da cidade de São Paulo

a partir de R$ 39,90/mês

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.