Três exposições imperdíveis de fotografia na capital

Individuais de Miguel Rio Branco e André Penteado e coletiva na Pinacoteca mostram o melhor da produção do suporte na arte contemporânea brasileira

 (André Penteado/Veja SP)

A produção brasileira de fotografia é tão potente que pode preencher museus paulistanos inteiros com cliques deslumbrantes. Entre as melhores exposições em cartaz na cidade estão três voltadas para o suporte: as individuais de Miguel Rio Branco e André Penteado e a coletiva na Pinacoteca. Visite todas, se possível: a programação é imperdível.

Miguel Rio Branco: Nada Levarei Quando Morrer (Miguel Rio Branco/Veja SP)

Miguel Rio Branco, no Masp

Miguel Rio Branco precisou de muita lábia para se aproximar dos personagens da série Maciel — o mesmo nome do bairro de prostituição na região do Pelourinho, em Salvador. Durante metade do ano de 1979, o fotógrafo frequentou a área degradada e marginalizada com o intuito de registrar casebres deteriorados e o interior de bares e prostíbulos, além de cenas de nudez e sexo. Cerca de sessenta registros estão reunidos na mostra Nada Levarei Quando Morrer, no Masp.

 (André Penteado/Veja SP)

André Penteado, na Zipper Galeria

Os cliques de André Penteado não são convencionalmente bonitos. E é justamente por isso que chamam atenção. Enquadramentos esquisitos, cores pálidas, expressões neutras e closes ampliados até demais marcam todo o seu trabalho fotográfico. Com a imparcialidade e determinação de um pesquisador, o paulistano investiga períodos específicos da história do Brasil. As catorze fotos de Missão Francesa, registram resquícios da delegação da França que, no século XIX, fundou a Academia Imperial de Belas Artes no Rio de Janeiro.

Fernando Lemos (Isabella Matheus/Veja SP)

Antilogias: o fotográfico na Pinacoteca

Depois de selecionarem cerca de oitenta fotografias do acervo da Pinacoteca, os curadores Mariano Klautau Filho e Pedro Nery engordaram o acervo da exposição ao convidar catorze artistas do Rio Grande do Sul, Pernambuco, Pará e São Paulo para criar mais de 170 trabalhos especialmente para a mostra. O resultado é um ótimo apanhado da produção contemporânea de imagens.

 

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s