Continua após publicidade

‘Trem das Onze’ imortalizou o Tramway da Cantareira

Canção do sambista Adoniran Barbosa completa cinquenta anos em setembro

Por Maurício Xavier [reportagem de Ricardo Rossetto]
Atualizado em 5 dez 2016, 14h16 - Publicado em 18 jul 2014, 23h00

Lançada pelo sambista Adoniran Barbosa em setembro de 1964 e gravada pela banda paulistana Demônios da Garoa, a canção Trem das Onze traz os versos clássicos “Moro em Jaçanã / Se eu perder esse trem / Que sai agora às 11 horas / Só amanhã de manhã”.

 

A letra faz referência ao Tramway da Cantareira, ferrovia de 21 quilômetros que ligava o centro à serra e a Guarulhos. Sua inspiração surgiu durante as idas do compositor, também ator, ao Jaçanã, onde gravava filmes na Companhia Cinematográfica Maristela, mas a música só ficou pronta dois meses depois da última viagem da linha. Os dois ramais possuíam 21 estações e, curiosamente, o horário oficial do “trem das onze” era 22h59.

Essa é uma matéria fechada para assinantes.
Se você já é assinante clique aqui para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Para curtir o melhor de São Paulo!
Receba VEJA e VEJA SP impressas e tenha acesso digital a todos os títulos Abril.
Impressa + Digital no App
Impressa + Digital
Impressa + Digital no App

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique.

Assinando Veja você recebe semanalmente Veja SP* e tem acesso ilimitado ao site e às edições digitais nos aplicativos de Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Superinteressante, Quatro Rodas, Você SA e Você RH.
*Para assinantes da cidade de São Paulo

a partir de R$ 39,90/mês

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.